Política da imagem, subjetivação e cenas de dissenso

Ângela Cristina Salgueiro Marques

Resumo


Este artigo pretende abordar, à luz da reflexão de Jacques Rancière, como a política da imagem se revela na produção criativa de cenas dissensuais nas quais o sujeito político emerge, aparece e constitui-se através de um processo de subjetivação. A potência política e criativa que as imagens apresentam conecta-se aos gestos de sobrevivência:operações e agenciamentos que possibilitam e que permitem resistir a capturas, silêncios e aos excessos de discursos construídos midiaticamente, pelas instituições sociais e pelo Estado.


Palavras-chave


Filosofia. Política da Imagem. Jacques Rancière - Filósofo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2014v10n17p61



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.