A favor da revolução: o grotesco e a destruição obsessiva como estratégias de produção - um olhar sobre a obra de Jan Švankmajer

Caio Cesar Costa e Silva

Resumo


A virada do século XIX implicou um novo cenário: com as evoluções tecnológicas tudo passou a ser mais rápido, caótico e fragmentado do que anteriormente. Na Europa, centro dessas transformações, as vanguardas artísticas, como o Dadaísmo e o Surrealismo, estremecem todas as áreas do conhecimento; para eles a arte pela arte já não satisfazia mais os ideais artísticos, além de subvertê-la era necessário transformar o mundo. É nesse contexto que o cinema torna-se foco de expressão desses acontecimentos, seu papel como uma nova arte se torna cada vez mais efetivo. Os surrealistas viam no dispositivo um canal para liberar o que convencionalmente era reprimido, permitindo que o inconsciente pudesse vir à tona como num sonho, mesclando o conhecido e o desconhecido, a realidade e o sonho, o cotidiano e o maravilhoso. Entre esses artistas está Jan Švankmajer, que também via no cinema uma forma de expressão para sua arte. Esta dissertação propõe-se a explorar as estratégias utilizadas por Švankmajer na instância da produção, através de uma análise pormenorizada de dois curtasmetragens - “Uma semana tranquila em uma casa” (Tichýtýden v dome) de 1969 e “A Morte do Stalinismo na Boêmia” (Konecstalinismu v Èechách) de 1990 - procurando demonstrar que o cinema pode encadear elementos que operam a favor de um objetivo. Jan Švankmajer mantém uma relação estreita com o modo de pensar surrealista, a estética do grotesco e a destruição obsessiva surgem aqui como elementos de ruptura da realidade e é neles que o cineasta encontra material suficiente para suscitar a inquietação no público.


Palavras-chave


Teses e Dissertações. Análise Cinematográfica. Surrealismo. Grotesco. Jan Švankmajer - Cineasta.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2014v10n16p277



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.