O desenvolvimento sustentável por meio da biossegurança e as responsabilidades sociais da empresa

Marlene Kempfer Bassoli, Lara Caxico

Resumo


Embora a Constituição Federal brasileira não traga, expressamente, em seu artigo 5o,a biossegurança como direito fundamental, sabe-se a importância que a mesma tem para a manutenção da vida. Nesse sentido, sob uma perspectiva histórica, a empresa é elencada como uma das principais responsáveis pela proteção ao meio ambiente e ao ser humano – ramos da biossegurança – por estar diretamente ligada a eles em relações de consumo, trabalho e, muitas vezes, de parasitismo. Dessa forma, o art. 170 da Carta Magna brasileira atribuiu a proteção desses ao estado e àqueles que atuam na atividade econômica. Na pesquisa em questão, analisar-se-á a postura das empresas surgidas na Revolução Industrial Inglesa e das contemporâneas perante o meio ambiente e o seu trabalhador como responsabilidades sociais da mesma. Sob o viés da ética e da moral empresarial e em busca da efetivação da proteção destes, aponta-se a necessidade de imposição e fiscalização de leis diante de atividades que representem de risco à saúde humana e ao desenvolvimento sustentável.

Palavras-chave


Empresa; desenvolvimento sustentável; biossegurança; responsabilidade empresarial; meio ambiente; segurança humana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1980-511X.2011v6n3p120

Direitos autorais



Rev. Dir. Publico

Londrina - PR

ISSN: 1980-511X

Email: rdpubuel@uel.br



 

 


Indexado: