Objetividade e subjetividade nas ciências sociais: introdução às relações interdisciplinares entre direito e desenvolvimento

André Parmo Folloni

Resumo


As relações entre Direito e desenvolvimento pressupõem estudo interdisciplinar no âmbito das ciências sociais. Esse tipo de estudo, porém, precisa lidar com o problema da objetividade, porque sustentar um dever de desenvolvimento pressupõe um juízo de valor. O artigo apresenta algumas discussões, no âmbito das ciências sociais, a respeito do problema da objetividade ou da subjetividade do conhecimento científico. Trata das distinções entre ciências naturais e ciências sociais mas, também, do fundamento empírico que, embora diferentemente, todas pressupõem. Superado esse ponto, avança-se procurando compreender o que se entende por objetividade científica em oposição à subjetividade, apresentando três significados possíveis: a reificação do objeto de pesquisa, a não valoração por parte do pesquisador e a não intervenção do pesquisador sobre o objeto de estudo. Essas três objetividades são, então, avaliadas de acordo com determinadas visões de ciência social e, em específico, de Ciência do Direito, permitindo as conclusões do artigo, governado pela epistemologia como seu método.

Palavras-chave


Ciências sociais; Epistemologia; Complexidade; Desenvolvimento; Direitos fundamentais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1980-511X.2014v9n3p25

Direitos autorais



Rev. Dir. Publico

Londrina - PR

ISSN: 1980-511X

Email: rdpubuel@uel.br



 

 


Indexado: