As representações da literatura oral nas esculturas de Mestre Nêgo

Carolina Reichert do Nascimento, Rafael Sancho Carvalho da Silva

Resumo


Expomos, no início do texto, nossa abordagem de pesquisa sobre a vida e a obra do escultor Mestre Nêgo, residente em Barreiras, Bahia, a qual se institui a partir da análise da oralidade do escultor sobre suas vivências. Em seguida, nos debruçamos na relação entre sua produção artística escultórica a qual possui aspectos intimamente ligados com a literatura oral. Por fim, analisamos três esculturas de lendas brasileiras do artista apoiados nos enredos das memórias relatadas ao longo de entrevistas realizadas na Casa das Artes, atelier do artista.

Palavras-chave


Escultura; História; Arte popular; Cultura; Lendas

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Dilson Dias. Entrevista concedida a Carolina Reichert do Nascimento e Rafael Sancho Carvalho da Silva. Barreiras, 11 ago. 2015. (a)

ALMEIDA, Dilson Dias Entrevista concedida a Carolina Reichert do Nascimento e Rafael Sancho Carvalho da Silva. Barreiras, 16 ago. 2015. (b)

ALMEIDA, Dilson Dias Entrevista concedida a Carolina Reichert do Nascimento e Rafael Sancho Carvalho da Silva. Barreiras, 17 dez. 2015. (c)

ALMEIDA, Dilson Dias Entrevista concedida a Carolina Reichert do Nascimento e Rafael Sancho Carvalho da Silva. Barreiras, 17 fev. 2016. (d)

ALMEIDA, Mauro W. Barbosa. Caipora e outros conflitos ontológicos. Revista de Antropologia da UFSCar, v.5, n.1, jan.-jun., p.7-28, 2013.

ALVES, Januária Cristina. Abedecário de personagens do folclore brasileiro. São Paulo: FTD: Edições SESC, 2017.

ARAÚJO, Alceu Maynard. Folclore, Nacional I: festas, bailados, mitos e lendas. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

CANDAU, Joël. Memória de identidade. São Paulo: Editora Contexto, 2014.

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 12ª edição. São Paulo: Global, 2012.

MAMMÌ, Lorenzo. A viagem das carrancas. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

DAVID, Priscila. História oral: metodologia do diálogo. Patrimônio e Memória. São Paulo, Unesp, v. 9, n. 1, p. 157-170, janeiro-junho, 2013.

GONÇALVES, Yacy-Ara Froner; PAULA, Arethusa Almeida de. Acervo de artista: a narrativa de uma memória escondida. In.: GERALDO, Sheila Cabo;

COSTA, Luiz Cláudio da (Orgs). Anais do Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas [Recurso eletrônico]. Rio de Janeiro: ANPAP, 2011. Disponível em < http://www.anpap.org.br/anais/2011/pdf/cpcr/arethusa_almeida_de_paula.pdf>, acesso em 24 abr. 2020. P. 3046.

NASCIMENTO, Bráulio do. O sagrado e o profano nos contos populares. Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares. vol.2. n. 2, p. 77 – 89, 2005.

OSTRIA GONZALEZ, Mauricio. Literatura oral, oralidad ficticia. Estud. filol., Valdivia , n. 36, p. 71-80, 2001 . Disponible en . Acesso em 23 abr. 2020.

PARDAL, Paulo. Carrancas do São Francisco. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2006.

POLLAK, Michel. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992, p. 200-212.

SAIA, Luis. Escultura popular em madeira. In: Risco - Revista de pesquisa em Arquitetura e Urbanismo. Volume 18/19. [São Paulo], 2013/2014.

SECULT-BA. Divisão Territorial da Bahia. Disponível em < http://www.cultura.ba.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=314>, acesso em 10 maio 2020.

SOUSA, Mari Guimarães. O fictício e o imaginário: tessitura e constituição nas narrativas orais dos ribeirinhos do Banco da Vitória, Ilhéus/BA – o caso do lobisomem cachorrão e da caipora dissimulada. In: X Congresso Internacional ABRALIC, 2006, Rio de Janeiro.

LUGARES DOS DISCURSOS, 2006. Disponível em < http://www.uesc.br/icer/artigos/ficticio_imaginario.pdf>, Acesso em 25 abr. 2020.

TRIGUEIROS, Edilberto. A língua e o folclore da bacia do São Francisco. Rio de Janeiro: Campanha de defesa do folclore brasileiro. 1977.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428