Da rua à literatura marginal-periférica dos Saraus e Slams: letramentos literários de reexistência na formação sensível-política de escritores e leitores por meio de performance poética em espaços não-escolares

Luiz Eduardo Rodrigues de Almeida Souza

Resumo


A Literatura Marginal-Periférica é um movimento que se consolida nos anos 2000 e emerge das ruas e periferias de São Paulo, espalhando-se para outros grandes centros urbanos do Brasil. Num primeiro momento, a base propulsora dessa cena literária é o circuito de saraus, e as competições de slams que ganham mais visibilidade numa segunda fase. O principal meio de expressão dessa literatura é a performance poética que se faz presente nos espaços à margem da cidade e do sistema literário, e que mobiliza um público significativo de jovens para a escuta, a leitura, a escrita e o protagonismo produtor dessa literatura contemporânea. Com esse processo circulação nas/pelas ruas e periferias, a literatura marginal dos saraus e slams promove a formação sensível de leitores e escritores por meio da recepção das performances/vozes poéticas e letramentos de reexistência que criticam as opressões/desigualdades políticas, sociais, raciais, de gênero/orientação sexual, etc., que seus corpos periféricos/minoritários vivenciam na sociedade. O objetivo desse artigo é realizar algumas leituras analíticas dos letramentos literários de reexistência na formação sensível-política por meio das performances nos saraus/slams de literatura periférica de Belo Horizonte. Para isso, contextualizamos esse nicho literário mediante o cruzamento entre conceitos teóricos e exemplos de performances poéticas.

Palavras-chave


Literatura Marginal; Sarau; Letramentos Literários; Voz; Performance Poética

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BARTHES, Roland. O prazer do texto. Tradução J. Guinsburg. São Paulo: Persectiva, 2006

BORDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Tradução Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CAMPOS, João Paulo de Freitas. Rebeliões poéticas: estudo etnográfico sobre o Sarau Vira-Lata. Monografia (Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 9 ed. Belo Horizonte: Editora Itatiaia Ltda, 2000.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1 Artes de fazer. Tradução: Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

CHARTIER, Roger. Do livro à leitura. In: CHARTIER, Roger. Práticas de Leitura. Tradução de Cristiane Nascimento. 4° Ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2009. p. 77-104.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Tradução Cleonice Paes Barreto Mourão, Consuelo Fortes Santiago. 2. Ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Rio de Janeiro: Editora da Uerj, 2012.

FÉLIX, Camila, Atlas dos Saraus: mapeamento dos saraus de poesia da região metropolitana de Belo Horizonte. 2017. 174f. Monografia (Arquitetura e Urbanismo) – UFMG, Belo Horizonte.

GUNUTZMANN, Pricila. Espaços de existência: identidade, poesia e emancipação em um sarau periférico. 2017. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2017

JAUSS, Hans Robert et al. A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. Seleção, coordenação e tradução de Luiz Costa Lima. 2. ed., rev. ampl. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

ILUMINADO, Vagabundo. Poeta por necessidade. Belo Horizonte: Quicelê, 2015.

PAULINO, Graça. “Formação de leitores: a questão dos cânones literários. In: Revista Portuguesa de Educação, año/vol. 17, número 001. Braga, Portugal: Universidade do Minho. 2004. (pp. 47-62).

PETIT, Michèle. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: Ed. 34, 2008. (O papel do mediador- p. 147-189).

PINHEIRO, Marta Passos. Reflexões sobre práticas de letramento literário de jovens: o que é permitido ao jovem ler? In: PAIVA, Aparecida et al. Democratizando a leitura: pesquisas e práticas. Belo Horizonte: Ceale, Autêntica, 2004.

RENA, Alemar S. A. Da margem à multidão: a centralidade e o êxodo dos pobres. Estud. Lit. Bras. Contemp. 2016, n. 49.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

SABINO, Nívea. Interiorana. Ilustração de Jupiter Coroada. Brasília; São Paulo: Padê Editorial, 2016.

SOUZA, Ana Lúcia Silva. Letramentos de reexistência: poesia, grafite, música, dança: hip-hop. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

STREET, Brian. Letramentos Sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

TENNINA, Lucía. Cuidado com os poetas! Literatura e periferia na cidade de São Paulo. Brasília: Editora Zouk, 2017.

TENNINA, Lucía. Saraus das periferias de São Paulo: poesia entre tragos, silêncios e aplausos. Estud. Lit. Bras. Contemp., n. 42, p. 11-28, jul./dez. 2013.

WALTY, Ivete Lara Camargos. A rua da literatura e a literatura da rua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

ZUMTHOR, Paul. Performance, Recepção, Leitura. Tradução Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. 1. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428