O estudo das tradições orais vivas: procedimentos metodológicos em diferentes experiências vivenciadas

Maria Ignez Novais Ayala

Resumo


Estudar documentos orais implica exercitar diferentes metodologias, optando por uma interdisciplinaridade. É dado destaque para os artistas populares, para seus saberes e papel nas comunidades, contribuindo-se para o conhecimento das culturas orais brasileiras de diferentes maneiras. Além dos modos de narrar, das circunstâncias que propiciam ou propiciaram a criação de versos, de situações de vida selecionadas como memoráveis, sobressaem as pessoas e suas histórias de vida, suas vivências, o que permite entender algumas das múltiplas facetas da história cultural brasileira, da memória do cotidiano e das poéticas orais. As análises apresentam-se em forma de ensaio, com diferentes procedimentos junto com outros, bem como os resultados evidenciam como é dirigido o olhar dos pesquisadores, antes de tudo, para as pessoas que fazem a cultura popular, que comentam e explicam suas tradições. Tem importância fundamental a escuta e a observação direta.


Palavras-chave


literatura oral

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ADES, César. A memória partilhada. Psicologia, USP, 2004, 15 (3): 233-244. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010365642004000200012. Acesso em 21 de julho de 2018.

AYALA, Maria Ignez Novais. ABC, Folheto, Romance ou Verso: a literatura impressa que se quer oral. Graphos, João Pessoa, v. 12, p. 52-73, 2010. Disponível em:

http://periodicos.ufpb.br/index.php/graphos/article/view/10908/6113. Acesso em: 23 jul. 2018.

AYALA, Maria Ignez Novais e AYALA, Marcos (org.). Metodologia para a pesquisa das culturas populares: uma experiência vivenciada. Crato: Edson Soares Martins Ed., 2015. Disponível em: www.acervoayala.com. Acesso em: 16 jul. 2018.

AYALA, M. I. N.; FREIRE, Rosangela Vieira. Vozes do folheto: uma prática de leitura e um caso de poética oral. Boitatá: Revista do GT de Literatura Oral e Popular da ANPOLL, Londrina, v. 9, p. 1-23, 2010. Disponível em:

http://www.uel.br/revistas/boitata/?content=volume_9_2010.htm.Acesso em: 10 jul. 2018.

AYALA, M. I. N.; FREIRE, Rosangela Vieira. Folhetos nordestinos: uma biblioteca cantante e falante . In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE POÉTICAS ORAIS: MÉTODOS, ACERVOS, CARTOGRAFIAS, 2., 2011, Londrina. Anais... Londrina: UEL 2011. Pt 2. p.313-328. Disponível em:

http://www.uel.br/revistas/boitata/Anais2/ANAIS-Parte2.pdf. Acesso em 10 de julho de 2018

BAJTIN, Mijail M. Hacia una filosofía del acto ético. De los borradores y otros escritos. Rubi (Barcelona): Anthropos; San Juan: Universidad de Puerto Rico, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: HUCITEC, 1979.

BAKHTIN, Mikhail. Para uma filosofia do ato responsável. Trad. Valdemar Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética. Trad. Aurora Fornoni Bernardini e outros. São Paulo: ed. UNESP; HUCITEC, 1988.

BASTIDE, Roger. Sociologia do folclore brasileiro. São Paulo: Anhambi, 1959.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literaturA e história da cultura. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985. (Obras escolhidas, 1).

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo a educação. 2. ed. Trad. Marcus Vinicius Mazzari. São Paulo: Summus, 1984, v. 17. (Novas buscas em Educação).

BENJAMIN, Walter et al. Textos escolhidos. Trad. José Lino Grünnewald et al. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Os pensadores).

BERGSON, Henri. A evolução criadora. Trad. Adolfo Casais Monteiro. São Paulo: Ed. UNESP, 2010.

BERGSON, Henri. Duração e simultaneidade. A propósito da teoria de Einstein. Trad. Cláudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. Trad. Paulo Neves da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

BERGSON, Henri. Memória e vida. Textos sel Gilles Delleuze. 2. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

BERGSON, Henri. O riso. Ensaio sobre a significação da comicidade. Trad, Ivone Castilho Benedettii. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BOSI, Ecléa. O tempo vivo da memória: ensaios de Psicologia Social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2013.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1967. (Ensaio, 3).

COSTA, Ana Luiza Martins. O mundo escutado Scripta, v.9, n. 17, 2005, p. 47-60. Disponível em:

http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/14078. Acesso em: 28 maio 2018.

FERNANDES, Frederico Augusto Garcia. A voz e o sentido: a poesia oral em sincronia. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

FERREIRA, Jerusa Pires. Armadilhas da memória: conto e poesia popular. Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado, 1991.

FERREIRA, Jerusa Pires. Cavalaria em cordel; o passo das águas mortas. 2 ed. São Paulo: HUCITEC, 1993.

HALBWACHS, M. A. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990. (Biblioteca Vértice).

HALBWACHS, M. A. Las classes sociales. México, D. F.: Fondo de Cultura Económica, 1950. (Las classes sociales, 32).

HONKO, Lauri (ed.). Textualization of oral epics. Berlin; New York: Mouton de Gruiter, 2000.

JAKOBSON, Roman. Algumas questões de poética. Org. e trad. Sônia Queiroz. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2009. [Edição bilíngue francês-português].

JAKOBSON, Roman; BOGATYREV, Petr. Le folklore, forme spécifique de création. In: JAKOBSON, Roman; BOGATYREV, Petr. Quéstions de poétique. Paris: Éditions du Seuil, 1973. p. 59-72.

LIBRANDI-ROCHA, Marília. Escritas de ouvido na literatura brasileira. Literatura e Sociedade, n. 19, 2014, p. 131-148. Disponível em:

http://www.revistas.usp.br/ls/article/view/97228. Acesso em 28 de maio de 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428