Cristais de mentalidade: ditados como sinais identitários no romance da Pedra do Reino

Marcos Paulo Torres Pereira

Resumo


Ariano Suassuna, autor de Auto da Compadecida e O Santo e a Porca, tinha como leitmotiv a valorização da produção material e imaterial do povo, através da evocação do que há de universal, eterno e poético no romanceiro nordestino. Tratado como elemento dramático no Romance da Pedra do Reino, o autor emprega formas simples como elementos identitários do povo sertanejo, tecendo uma estampa imagética de sua mentalidade. O presente artigo discute o emprego de ditados e provérbios como cristais de mentalidade imanentes de costumes e história, crenças e tradições, filtrados mediante estados afetivos, moralizantes e pedagógicos que se tornam expositores de identidade.


Palavras-chave


Oralidade. Identidade. Mentalidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428