Entre livros e discos: aliança e disputa entre Jorge Amado e Dorival Caymmi na representação da baianidade na década de 1940

André Domingues dos Santos

Resumo


O literato Jorge Amado e o cancionista Dorival Caymmi formaram na década de 1940, uma prolífica parceria em torno da baianidade, estabelecendo uma proximidade ímpar entre eruditos e populares no panorama cultural de seu tempo. Sob a imagem fraterna e confluente dessa obra conjunta, porém, restava uma aguda disputa em torno da representação do popular, com um e outro manipulando a produção alheia, num jogo de ênfases e omissões dirigido à afirmação da sua própria situação no debate político e estético brasileiro. O presente trabalho analisa essa produção conjunta e busca reconstituir historicamente o jogo de tensões que a moldou.


Palavras-chave


Dorival Caymmi; Jorge Amado; Baianidade; Cultura Popular; Cultura Erudita

Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, Jorge: O moço Caymmi e a Bahia. In: CAYMMI, Dorival. Cancioneiro da Bahia. 4 ed. São Paulo: Ed.: Martins, 1967.

AMADO, Jorge: Bahia de Todos os Santos: guia de ruas e mistérios. 35 ed. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1983.

AMADO, Jorge: Mar morto. 51. ed.. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1980.

AMADO, Jorge. Casa Grande e senzala e a revolução cultural. In: Gilberto Freyre: sua ciência, sua filosofia, sua arte: ensaios sobre o autor de Casa-grande & senzala, e sua influência na moderna cultura do Brasil. Rio de Janeiro: Ed. José Olympio, 1962. Disponível em:. Acesso em: 05 nov. 2013.

ANDRADE, C. M. P.: Bahia, Cidade-Síntese da Nação Brasileira: Uma leitura em Jorge Amado. 1999. Tese (Doutorado) - HS-PUCSP, São Paulo, 1999.

CASTRO, Ruy. Carmen, uma biografia. São Paulo: Ed. Companhia das Letras, 2005.

CAYMMI, Dorival. Cancioneiro da Bahia. 4 ed. São Paulo, Ed.: Martins, 1967.

CAYMMI, Dorival .É doce morrer no mar. (D. Caymmi/J. Amado). Rio de Janeiro: Grav. Colúmbia, 1941. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2013.

CAYMMI, Dorival. Porque estou musicando motivos de ‘Mar Morto’ e ‘Jubiabá’. In: ANUÁRIO Brasileiro de Literatura. Rio de Janeiro: Irmãos Pongetti Editores, 1940. n.4

CAYMMI, Stella. Dorival Caymmi e a Bossa Nova: o portador inesperado - a obra de Dorival Caymmi (1938-1958). Rio de Janeiro: Ed. Ibris Libris, 2008.

CAYMMI, Stella. Dorival Caymmi, o Mar e o Tempo. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2001.

CAYMMI, Stella. O que é que a baiana tem?: Dorival Caymmi na era do rádio. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 2013.

DOMINGUES, André. Caymmi sem folclore. São Paulo: Ed. Barcarolla, 2009.

GARCIA, Walter. Melancolias, Mercadorias: Dorival Caymmi, Chico Buarque, o pregão de rua e a canção popular-comercial no Brasil Tese (Doutorado) - ECA-USP, São Paulo, 2006.

SANDRONI, Carlos. Feitiço Decente: Transformações do samba no Rio de Janeiro (1917- 1933). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

SAROLDI, Luiz Carlos; MOREIRA, Sônia Virgínia. A Rádio Nacional: o Brasil em sintonia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

TOTA, Antônio Pedro. Samba da Legitimidade. 1980. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1980.

VIANNA, Hermano. O Mistério do Samba. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

WISNIK, José Miguel. Getúlio da Paixão Cearense (Villa-Lobos e o Estado Novo). In: SQUEFF, Enio; WISNIK, José Miguel. O Nacional e o Popular na Cultura Brasileira – Música. 2. ed. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1983.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428