O assassinato do Aqueduto e sua representação na literatura popular portuguesa

Nilce Camila de Carvalho

Resumo


Diogo Alves foi um célebre bandido português do século XIX que ficou conhecido como “O assassino do Aqueduto das Águas Livres de Lisboa”. Sua principal prática criminosa consistia em assaltar e jogar a vítima do alto do Arco Grande a fim de que não houvesse testemunha. Apesar de ter ficado famoso por esses crimes, ele foi julgado e condenado à forca por um outro. Diogo Alves transformou-se em uma lenda urbana. Sua história deu origem a livros, folhetos de cordel e filmes, seus atos são lembrados até hoje pelos lisboetas, uma vez que sua memória ficou atrelada ao aqueduto. Assim, a proposta desse artigo é refletir sobre o personagem, seus crimes e sua lenda, discutindo as suas representações literárias e as explícitas intenções dos autores.


Palavras-chave


Bandido; lenda; literatura popular; representação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428