Artimanhas da malandragem e memória discursiva em personagens do cotidiano: Pedro Malasartes e Mineirinho Ladrão, os "fora da lei"

Anderson de Carvalho Pereira, Leda Verdiani Tfouni

Resumo


O artigo mostra o processo de ressignificação em discursos do cotidiano. Em torno da polissemia de sentidos de “malandragem”, a noção de memória discursiva da Análise de Discurso francesa é mobilizada para a análise de um corpus formado pela narrativa “Pedro Malasartes”, contada por uma mulher não alfabetizada, pela letra da canção “Cowboy fora da lei” de Raul Seixas e pela entrevista do “Mineirinho Ladrão” ao ser preso em decorrência de uma tentativa de roubo, tal como veiculada em ambiente virtual (youtube). Apontamos formações imaginárias que veiculam a naturalização e a subversão dos sentidos de “malandragem”, “roubo” e “herói” por conta do modo como os diferentes pontos da memória discursiva sinalizam uma polissemia apontando efeitos de sentido desses “heróis sem nenhum caráter”.


Palavras-chave


Narrativas Orais. Discurso. Memória. Letramento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428