Vozes em evidência: narrativas orais e cultura popular em Volta Grande - Bahia

Carlene Vieira Dourado

Resumo


Este artigo apresenta algumas leituras e considerações sobre o conceito de cultura popular a partir da visão de diversos autores em diversas épocas e contextos. Objetiva ainda analisar algumas narrativas orais e modos de vida da comunidade em estudo – Volta Grande - Bahia - e compreendê-las enquanto elementos constitutivos da identidade e da cultura popular do grupo. Volta Grande é uma comunidade quilombola rural, localizada no município de Barro Alto, sertão baiano, marcada dentre outros traços culturais, por manter vivas algumas tradições, como a fabricação da farinha e a contação de histórias. Essas e outras práticas na comunidade sobrevivem graças à oralidade, porém são ameaçadas pela invasão de produtos da modernidade. Dessa forma, veremos de que forma uma comunidade tradicional mantém vivas algumas práticas do passado e como elas podem se configurar como uma arma na luta pela afirmação da identidade e da cultura popular.


Palavras-chave


Cultura Popular; Narrativas Orais; Comunidade Quilombola; Contação de Histórias;

Texto completo:

PDF

Referências


AYALA, M. e AYALA, M.I. Cultura popular no Brasil. São Paulo: Ática, 1987.

BÂ, Amadou Hampâté. A tradição viva. In: UNESCO. História geral da África: metodologia e pré-história da África. v. 1. Brasília: UNESCO, MEC, UFSCar, 2010. p. 167-212.

BENJAMIN, Walter. O narrador. Consideração sobre a obra de Nicolai Leskov, In: Obras escolhidas, magia e técnica, arte e política - Ensaio sobre leitura e história de cultura. São Paulo: Brasiliense, 1986.

BURKE, Peter. Cultura popular na idade moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. No texto consta 2010 (p. 02).

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas - estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Ana Regina Lessa e Heloísa Pezza Cintrão. São Paulo: EDUSP, 1997.

CASCUDO, Luís da Câmara. Literatura oral no Brasil. 1. ed. digital. Ed. Global: São Paulo. 2012.

CARVALHO, J.J. Metamorfoses das tradições performáticas Afro-brasileiras de patrimônio cultural a indústria de entretenimento. Série Antropologia. Brasília, 2004.

CHARTIER, Roger. Cultura popular: revisitando um conceito historiográfico. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 8, D° 16, 1995, p. 179-192.

CORDEIRO, Damião. Poesia “Esfarinhada”. Disponível em: http://minaslivre.net/index.php?option=com_content&view=article&id=2383:esfarinhada-

&catid=61:damiao-cordeiro&Itemid=64. Acesso em: 10 de jul. 2015.

DARNTON, Robert. O grande massacre de gatos: e outros episódios da história cultural francesa. São Paulo: Graal, 1996.

FERNANDES, Frederico Augusto Garcia. A poesia oral e os estudos literários. In: FERNANDES, Frederico Augusto Garcia. A voz e o sentido: poesia oral em sincronia. São Paulo: Ed. UNESP, 2007.

HALL, Stuart. Estudos culturais e seu legado teórico. In: HALL, Stuart. Da Diáspora: identidade e mediações culturais. Liv Sovik (Org.). Tradução de Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Editora da UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

NOGUEIRA, Maria Dina; WALDECK, Guacira. Mandioca: saberes e sabores da terra. Rio de Janeiro, IPHAN/CNFCP, 2006. Catálogo da exposição, 25 maio -30 jul. 2006, Galeria Mestre Vitalino, Museu de Folclore Edison Carneiro, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular.

PEREIRA, Edimilson de Almeida; GOMES. Núbia Pereira de Magalhães. Janelas em movimento: cultura popular e processos de transformação. In: PEREIRA, Edimilson de Almeida. Flor do não esquecimento: cultura popular e processos de transformação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

ROMERO, S. Contos populares do Brasil. São Paulo, Landy Editora, 2000.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. Tradução de Jerusa Pires Ferreira, Maria Lúcia Diniz Pochat e Maria Inês Almeida. São Paulo: Hucitec/Educ, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428