Repentista ou repetista?

Edmilson Ferreira dos Santos, Beliza Áurea de Arruda Mello

Resumo


A cantoria de repente é uma atividade poético-musical essencialmente improvisada. Como manifestação oral contemporânea, tanto recebe influência da escrita, quanto frequentemente lança mão desse recurso para fins de aperfeiçoamento e memorização com vistas à performance. O ouvinte, coautor do texto poético, é um elemento essencial para o conjunto performático e também o principal agente de controle dos conteúdos exibidos. O texto elaborado previamente por alguns cantadores de repente, assim como a sua repetição, embora performatizado como se fosse de improviso, repercute negativamente quando essa prática é descoberta pelo ouvinte. Os dispositivos de gravação e as ferramentas de difusão figuram como os principais suportes de controle adotados e forçam os poetas populares que adotam essa estratégia de apresentação a repensarem a sua prática profissional. Este trabalho pretende investigar o que de fato é improviso e o que não é na performance dos cantadores de repente; como os ouvintes atuam no processo de coautoria, mas também de controle da atuação desses artistas; e de que modo os aparatos tecnológicos auxiliam ouvintes e repentistas nas suas atuações.


Palavras-chave


Cantoria de repente. Oralidade. Escrita. Ouvinte. Cantador de repente

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428