Erenkon, a literatura e os haicais

Devair Antônio Fiorotti, Jociane Gomes de Oliveira

Resumo


Este estudo, primeiramente, apresenta os erenkon, cantos dos índios macuxi e taurepang, de Roraima, Brasil, cantados por Manaaka e Yauyo, Terêncio Luiz Silva e Zenita de Lima, respectivamente. Ele, um índio macuxi; e ela, uma wapixana. Posteriormente, discute aspectos relativos ao reconhecimento desses cantos como literários, para, ao final, analisar e aproximar a poeticidade desses cantos com a estética dos haicais japoneses. A partir da concepção de uma frase geradora, que é desdobrada pelo canto, a tradução foi proposta. Com isso, estabelece-se forte densidade poética, como presente nos haicais, uma poética concentrada e vigorosa. Ainda, a aproximação feita entre os textos oriundos dos cantos indígenas e os haicais busca pôr em discussão as opções da crítica e teoria literária nacional que ignoram textos indígenas não coloquiais, artísticos. Este trabalho possui um objetivo maior que é contribuir na inserção das poéticas orais oriundas dos cantos indígenas no âmbito dos estudos literários brasileiros.


Palavras-chave


Erenkon. Literatura. Haicai. Macuxi. Taurepang

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428