Bases da literatura oral - uma análise do contexto da lira popular e da literatura de cordel com base em "Literatura e subdesenvolvimento"

Anderson Morales Velloso

Resumo


A Literatura nos países latino-americanos sempre encontrou problemas para desenvolver-se por vários motivos, pois, como avalia o professor Antonio Candido, as condições materiais para a parca presença da literatura local se ligam ao analfabetismo, inexistência dos públicos disponíveis para a literatura (em função do número reduzido de leitores reais), não especialização dos escritores locais, condições estas relacionadas ao “subdesenvolvimento” da região. No entanto, com tais problemas para o crescimento do círculo literário letrado, abre-se espaço para formas literárias não reconhecidas como as que se baseiam na oralidade criadas por figuras provenientes do meio campesino e da periferia das grandes cidades. No presente trabalho, analisamos e comparamos de maneira genérica as condições de criação e desenvolvimento da Lira Popular chilena e a Literatura de Cordel brasileira, com base em “Literatura e subdesenvolvimento” de Antonio Candido, tendo como período de análise desse contexto das formas literárias de base oral a segunda metade do século XIX até a década de 1930, período em que a Lira Popular deixa de circular.


Palavras-chave


Lira Popular; Literatura de Cordel; Subdesenvolvimento; Candido

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Leandro Gomes de. Literatura popular em verso. Antologia. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1977.

CALDAS FILHO, Carlos Ribeiro. Religião na literatura de cordel: análise da religiosidade popular no nordeste brasileiro. In: Revista de cultura teológica, São Paulo, v. 52, p. 65-77, 2005.

CANDIDO, Antonio. Literatura e subdesenvolvimento. In: CANDIDO, Antonio. A educação pela noite. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

CARDOSO, Luís Miguel B. Literatura, Paraliteratura ou Subliteratura? O Estatuto Axiológico de um texto de linguagem mista: a Banda Desenhada. In: Fórum Media - Revista do curso de comunicação social, Viseu/Portugal, n. 4, 2002.

CURRAN, Mark J. A literatura de cordel. Recife: Ed. Universidade Federal do Pernambuco, 1973.

LAFAYE, Jacques. Literatura y vida intelectual en la América española colonial. In: BETHELL, Leslie. In: Historia de América Latina. Tomo 4 – América Latina: población, sociedad y cultura. Barcelona: Editorial Crítica, 1990, p. 229-264.

HOMOLKA, Sônia Pereira. Literatura de cordel: vozes da identidade e um breve estudo memorialístico. 2015, 77 p. Dissertação (Master of Arts) - Department of Spanish and Portuguese, Brigham Young University. 2015.

LUZ, Zé da. Brasí cabôco e Sertão em carne e osso. Recife: Litoral, 1999.

NAVARRETE, Micaela (Org.). La Lira popular: poesía popular impresa del siglo XIX. Santiago do Chile: Arquivo de Literatura Oral e Tradições Populares: Universitária: DIBAM, Departamento de Extensión Cultural, 1999. [17] folhas de lâminas.

PEREIRA, Marcos Paulo. A cristalização do imaginário medieval na literatura de cordel. In: Nau Literária, Porto Alegre, IL/UFRGS, v. 10, p. 188-207, 2014.

PINTO, Maria Isaura Rodrigues. Literatura de cordel do Brasil e de Portugal: elementos articuladores de cumplicidades e conflitos. In: Cadernos do CNLF, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, t. 2, p. 1986-2001, 2011.

RAMA, Ángel. Dez problemas para o romancista latino-americano. In: AGUIAR, Flávio; VASCONCELOS, Sandra (Org.). Literatura e cultura na América Latina. São Paulo, EDUSP. 2001, p. 47-110.

RAMA, Ángel. La ciudad letrada. Hanover, New Hampshire: Ediciones del Norte, 1984.

TERRA, Ruth B. L. Memória de lutas: literatura de folhetos do Nordeste - 1893 - 1930. São Paulo: Global, 1983.

URIBE, Juan. Flor de canto a lo humano. Santiago: Editora Nacional Gabriela Mistral, 1974.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428