Narrativas orais no Marajó das florestas: memória tupi em pelejas pela Amazônia Marajoara

Joel Pantoja da Silva, Ivânia dos Santos Neves

Resumo


O artigo trata da persistência de uma memória discursiva Tupi presente na cosmologia de comunidades que constituem o roteiro Tajapuru, no município de Melgaço-PA, na Amazônia Marajoara, em peleja com códigos de narratividade letradas coloniais. Objetiva discutir o poder dessa memória como lugar de reafirmação de experiências históricas entre o passado e o presente. A partir da narrativa oral “A Esperteza do Jabuti” (CORRÊA, 2010), captada em trabalho escolar, sob a orientação da Análise do Discurso, dialogamos com as categorias memória discursiva (COURTINE, 1981); memória coletiva (HALBWACHS, 2006); regularidades e dispersões (FOUCAULT, 1987) e cronotopo (BAKHTIN, 1998). Os resultados revelam representações da cultura Tupi nas simbioses entre o universo natural e cultural regional. Igualmente, nas apropriações que fazem de códigos e suportes materiais da cultura letrada eurocêntrica, reafirmando cosmologias, saberes, fazeres e agires. Finalmente, o poder dessa memória Tupi expõe as lutas culturais entre tradições orais e letradas em contínuas relações de força, reveladas em negociações, perdas e incorporações.


Palavras-chave


Prática docente; Narrativas Orais; Discursos; Memórias em peleja

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428