Dioguinho: o mítico representante da sociedade e do baditismo caipira

Nilce Camila de Carvalho

Resumo


A opressora “civilização do café”, que teve seu auge no final do século XIX e que foi responsável pelo avanço do capitalismo no sertão paulista, formou não apenas coronéis e trabalhadores rurais, mas também indivíduos oprimidos pela estratificação social vigente. Essa posição social desprivilegiada ocasionou o surgimento de vários bandidos que passaram a atemorizar a população rural. Esse artigo visa discutir a formação de um mito em torno de um bandoleiro que se aliou aos poderosos senhores do café para servilos. Dioguinho, como era conhecido, foi o motivo de três narrativas literárias que, além de apresentar seus crimes, sua impunidade e a de seus cúmplices, apresentam as inúmeras lendas que foram transmitidas oralmente pelo povo que o temia e que, de certo modo, o tinha por herói.


Palavras-chave


caipira; mito; banditismo social; Dioguinho.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428