O poder metafísico da voz e sua sedução em contos de Sérgio Sant’Anna

Anderson Possani Gongora

Resumo


Neste artigo, por meio da análise de dois contos do escritor brasileiro contemporâneo Sérgio Sant’Anna, A voz e O Gorila, o mistério da ficção será explorado tendo como foco a potencialidade material e também metafísica da voz. Nos textos, esta se confunde com a escrita numa ânsia de compreender os muitos mistérios que estão além da vida e da morte. A voz é um recurso de oralidade indispensável para a humanidade em seus diferentes contextos e possui um elevado índice de subjetividade, sendo considerada uma das tecnologias mais importantes na construção de sentido.


Palavras-chave


Sérgio Sant’Anna. Ficção. Escrita. Oralidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428