A estratégia discursiva do cordel prosificado

Doralice F. Xavier Alcoforado

Resumo


O folheto de cordel, veiculado em verso sob a forma impressa, emergiu do ambiente de oralidade da cantoria, reinante no século XIX, no Brasil. Dele absorvendo a estrutura poética básica em verso, efetivou uma técnica de composição impressa e estratégia discursiva própria da oralidade. Apesar disso, a pesquisa da Bahia vem constatando um continuado processo de tradicionalização em prosa de alguns folhetos – “verdadeiros” contos. Nesse processo de prosificação, o folheto passa por modificações, troca o registro discursivo original do gênero, instituindo uma nova construção fabular. Essa constatação levou-nos a procurar entender esse processo e as modificações sofridas nesse percurso. É o que este trabalho procura analisar, a partir do estudo de alguns cordéis.

Palavras-chave


Literatura de cordel. Oralidade. Bahia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Boitatá
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428