Prevalência e fatores da automedicação entre estudantes universitários no Norte do Paraná.

Alexandre Abujamra Tomasini, Alide Marina Biehl Ferraes, Joice Sifuentes dos Santos

Resumo


O uso de medicamentos por conta própria é conhecido como automedicação. Esta prática, altamente disseminada, pode trazer riscos à saúde, como reações adversas a medicamentos, uso de medicamentos sem necessidade, interações medicamentosas e interações medicamento-alimento. O objetivo desta pesquisa foi estabelecer a prevalência e os fatores da automedicação entre acadêmicos no Norte do Paraná de diferentes cursos de Graduação. Para o levantamento das informações, foi aplicado um questionário aos alunos (95 estudantes) calouros e formandos de cada curso da Faculdade. A maioria dos estudantes era do gênero feminino, com idade entre 17 e 48 anos. Dentre os fatores desencadeantes da automedicação, o mais citado foi a utilização de medicamentos tempos depois de uma consulta médica (72,6%). Verificou-se que os analgésicos são os medicamentos mais utilizados pelos acadêmicos (65,3%). Constatou-se que a prática é mais elevada em mulheres (68,4%) do que nos homens (31,6%) (p<0,05). Em todos os cursos verificou-se o alto índice de automedicação. Pode-se notar que os acadêmicos possuem o hábito de ler as bulas dos medicamentos. Além disto, o conhecimento dos acadêmicos de que a automedicação pode trazer algum dano à saúde e o fato de os mesmos procurarem solucionar dúvidas com o Farmacêutico, demonstra a conscientização do perigo que o uso de medicamentos por conta própria e sem orientação pode ocasionar.


Palavras-chave


Discentes; Farmacêutico; Uso Racional de Medicamentos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Biosaúde
E-ISSN: 2525-555X
Email: biosaude@uel.br