Atividade de um óleo vegetal e seu éster metílico (FAME) sobre larvas de Culex quinquefasciatus

José Antônio Ribeiro Neto, Cínthia da Silva Moura, Stênio Nunes Alves, Luciana Alves Rodrigues dos Santos Lima

Resumo


O grande desafio em programas de controle de pragas envolvendo o uso de compostos químicos é a seleção de linhagens resistentes. Dentre as consequências do desenvolvimento da resistência estão a aplicação mais frequente de inseticidas, aumento na dosagem do produto, e substituição por um outro composto, geralmente mais caro e mais tóxico. A evolução da resistência compromete os princípios do manejo integrado de pragas (MIP) em vista da maior contaminação ambiental com pesticidas, destruição de inimigos naturais e elevação nos custos de controle da praga. Desta forma, o manejo da resistência de pragas a produtos químicos se constitui um importante componente do MIP e vice-versa. Atualmente, cada vez mais chama a atenção o fato de surgirem linhagens resistentes de mosquitos, principalmente do Culex quinquefasciatus frente a diferentes classes de inseticidas químicos como organofosforados e piretróides, o que torna essas classes de inseticidas impróprias para o controle desse inseto.


Palavras-chave


Compostos Naturais, Culex quinquefasciatus, Inseticida Natural.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2316-5200.2013v2n2espp28

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


BBR - Biochemistry and Biotecnology Reports
Email: bbr@uel.br
E-ISSN:  2316-5200