O governo de Juscelino Kubitschek e o mito da democracia representativa: a vigilância do Serviço Secreto do DOPS-SP nas agremiações democráticas 1956-1960

Nilo Dias de Oliveira

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar a prática de vigilância e repressão do Serviço Secreto da DOPS-SP através da análise dos seus relatórios durante o período de 1956 - 1960, dando ênfase à ação deste órgão sob alguns movimentos reivindicatórios que vislumbravam nesses novos tempos de grandes transformações na sociedade
brasileira, propostas de mudanças efetivas na relação entre o capital e o trabalho. A infiltração de seus agentes nestas agremiações demonstra a vinculação deste sistema
repressivo com os segmentos políticos subordinados aos setores das burguesias dependentes, cujo monopólio de dominação se via ameaçado pela ampliação dos direitos
civis.


Palavras-chave


Serviço Secreto; DOPS-SP; Classe Operária; Partido Comunista do Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2011v4n7p267



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS