Cultura e educação nos impérios ibéricos: pesquisa, teoria, experiência

Antonio Cesar de Almeida Santos, Cláudio Luiz Denipoti, Thaïs Nivia de Lima e Fonseca

Resumo


Este artigo apresenta o Grupo de Pesquisa Cultura e Educação nos Impérios Ibéricos (CEIbero) e comenta a sua produção historiográfica na última década, caracterizando o grupo, em seus eventos de divulgação científica e publicações, como espaço de discussão sobre os processos e as práticas educativas no ambiente político e cultural do Antigo Regime ibérico, particularmente no que se refere ao contexto de reformas educacionais realizadas sob influência das Luzes. Essa perspectiva está voltada para um entendimento mais abrangente do conceito de educação, para além da noção hegemônica na historiografia que a vê como educação necessariamente escolar, organizando as investigações em torno de três linhas de pesquisa: Administração, instrução e educação; Cultura escrita e práticas culturais e educativas; Instituições e práticas culturais e educativas. Neste sentido, as pesquisas conduzidas pelos integrantes do Grupo abordam a formação dos quadros administrativos dos Impérios ibéricos, os diversos projetos educacionais desses Impérios e suas relações com as atividades econômicas e profissionais, as relações entre a Ilustração e a cultura escrita, as práticas culturais e educativas como mediadoras de sociabilidades e as instituições de natureza cultural e educacional, seus componentes e suas ações.

Palavras-chave


Cultura; Educação; Ilustração

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELO, Fabrício Vinhas Manini. Para o meu filho se educar: o papel da família na longevidade educacional das gerações seguintes na Minas de Ouro (c. 1710 - 1760). 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

ARAÚJO, Ana Cristina (coord.). O Marquês de Pombal e a universidade. Coimbra: Imprensa da Universidade, 2000.

ARAÚJO, Ana Cristina. A cultura das luzes em Portugal: temas e problemas. Lisboa: Livros Horizonte, 2003.

ARAÚJO, Ana Cristina. Cultivar a razão, educar e civilizar os povos: a filosofia das Luzes no mundo português. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v.19, n. 2, p. 263-281, 2014.

ARAÚJO, Ana Cristina. Opinião pública. Glossário de termos do mundo ibérico setecentista. 2019. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/website. Acesso em: 15 mar. 2020.

ANTUNES, Álvaro de Araújo. Alumiações, razões e críticas: José Bonifácio de Andrada e Silva e o plano de reforma da Faculdade de Filosofia da Universidade de Coimbra. In: SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016, p. 185- 205.

BUECKE, Jane Elisa Otomar. Infância e práticas educativas na Amazônia seiscentista. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Pará, Belém, 2019.

CARVALHO JÚNIOR, Eduardo Teixeira de. Método. Glossário do mundo ibérico setecentista. 2019. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/website/sobre-2. Acesso em: 30 jul. 2019.

CARVALHO JÚNIOR, Eduardo Teixeira de. Formar homens úteis à nação: o projeto verneyano e o ideário reformista português. COLÓQUIO CULTURA E EDUCAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA, 3., 2016, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: [s. n.], 2016. Disponível em: https://coloquioceap.files.wordpress.com/2018/02/ iiic2ba-cceap-anais-do-evento.pdf. Acesso em: 14 mar. 2020.

CEIBERO. Cultura e Educação nos Impérios Ibéricos. Glossário de termos do mundo ibérico setecentista. 2018. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/ website. Acesso em: 2 fev. 2020.

CEIBERO. Cultura e Educação nos Impérios Ibéricos. Grupo Ceibero. [Minas Gerais]: Ceibero, 2020. Disponível em: https://ceibero.wordpress.com/. Acesso em: 2 fev. 2020.

CHARTIER, Roger. “Escutar os mortos com os olhos”. Estudos avançados. São Paulo, v.24, n.69, p. 6-30, 2010.

CNPQ – CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. Grupo de pesquisa: CEIbero - cultura e educação nos impérios ibéricos. 2020. Disponível em: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/33062. Acesso em: 2 fev. 2020.

COSTA, Mário J. de Almeida; MARCOS, Rui de F. Reforma pombalina dos estudos jurídicos. In: ARAÚJO, Ana Cristina (coord.). O Marquês de Pombal e a universidade. Coimbra: Imprensa da Universidade, 2000. p. 97-125.

DARNTON, Robert. What is the history of the books. In: FINKELSTEIN, David; McCLEERY (ed.). Book history reader. New York: Routledge, 2002. p. 10-26.

DENIPOTI, Cláudio. O embaixador: o livreiro e o policial: circulação de livros proibidos e medo revolucionário em Portugal na virada do século XVIII para o XIX. Varia Historia, Belo Horizonte, v. 30, n. 52, p. 129-150, 2014.

DENIPOTI, Cláudio. Em busca da tradução perfeita: os discursos de tradutores e censores portugueses na segunda metade do século XVIII. In: SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016, p. 89-106.

DENIPOTI, Cláudio. Tradutores médicos e a ideia de tradução em Portugal em fins do século XVIII: o caso dos livros de medicina. História; ciência, saúdeManguinhos, Rio de Janeiro, p. 913-931, 2017a.

DENIPOTI, Claudio. O livreiro que prefaciava (e os livros roubados); os prefácios de Francisco Rolland e a circulação de livros no Império Português ao fim do século XVIII. História: Questões & Debates, Curitiba, v. 65, p. 385-411, 2017b.

DENIPOTI, Cláudio. O “y”, o artigo e as ortografias: a censura e o vernáculo português do século XVIII. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 38, n. 77, p. 37-55, 2018a.

DENIPOTI, Cláudio. Historiadores citando historiadores: afirmações de verdades e a construção do discurso histórico (Diogo Borel e as traduções da Constituição francesa). Praticas da Historia, Lisboa, n. 7, p. 133-160, 2018b.

DENIPOTI, Cláudio Luiz. Escrita, Luzes, Nação e Império nos textos e paratextos de escritores e tradutores luso-brasileiros no século XVIII. História, São Paulo, v. 38, p. 1-20, 2019a.

DENIPOTI, Cláudio Luiz. Útil/utilidade. In: Glossário de Termos do Mundo Ibérico Setecentista, 2019b. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/website. Acesso em: 15 mar. 2020.

DENIPOTI, Cláudio; FONSECA, Thaïs Nivia de Lima. Censura e mercê - os pedidos de leitura e posse de livros proibidos em Portugal no século XVIII. Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 139-154, 2011.

DENIPOTI, Cláudio; PEREIRA, Magnus Roberto de Mello. O agradável serviço a D. João: as dedicatórias da Casa Literária do Arco do Cego (1799-1801). In: FONSECA, Thaïs Nívia de Lima; SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Cultura e educação na América portuguesa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2020. p. 117-144.

ESTATUTOS da Universidade de Coimbra. Lisboa: Na Regia Officina Typografica, 1772. Livro Primeiro.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. Letras, ofícios e bons costumes: civilidade, ordem e sociabilidades na América portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. O ensino régio na capitania de Minas Gerais. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima (org). As reformas pombalinas no Brasil. Belo Horizonte: Mazza Edições: FAPEMIG, 2011.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. Educação na América Portuguesa: sujeitos, dinâmicas, sociabilidades. História. Questões & Debates, Curitiba, v. 60, p. 15-38, 2014.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. Writings and representations of education in Portuguese America. Sisyphus - Journal of Education, Lisboa, v. 4, p. 98-119, 2016a.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. Circulação e apropriação de concepções educativas: pensamento ilustrado e manuais pedagógicos no mundo lusoamericano colonial (séculos XVIII-XIX). Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, p. 167-185, 2016b.

FONSECA, Thaïs Nívea de Lima. Circulação e apropriação de concepções educativas no mundo lusoamericano colonial. In: SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016c.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. História da educação em Minas Gerais: da colônia à república. Uberlândia: EDUFU, 2019a. v. 1.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. Educação/Instrução. In: Glossário de Termos do Mundo Ibérico Setecentista, 2019b. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/ website. Acesso em: 15 mar. 2020.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima. As vilas na América portuguesa e a emergência da instrução pública (séculos XVIII e XIX). Sarmiento Revista Galego-Portuguesa de História da Educação, Vigo, v. 23, p. 13-30, 2020.

FONSECA, Thaïs Nívia de Lima; SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (orgs.). Cultura e educação na América Portuguesa. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2020.

FORMIGA, Francis Albert Cotta. Disciplina (militar). In: Glossário de Termos do Mundo Ibérico Setecentista, 2020. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/ website. Acesso em:14 mar. 2020.

FORMIGA, Francis Albert Cotta. Disciplina militar no império português: práticas educativas e instrução militar na América portuguesa e nas Minas setecentista. Belo Horizonte: UFMG, 2019. Projeto de Dissertação de Mestrado em Educação.

GALVÃO, Ana Maria. História das culturas do escrito: tendências e possibilidades de pesquisa. In: MARINHO, Marildes; CARVALHO, Gilcinei Teodoro (org.). Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010. p. 218-248.

GORGULHO, Talitha Maria Brandão. A educac?a?o como heranc?a das elites coloniais em tre?s comarcas da Capitania de Minas Gerais: Rio das Mortes, Rio das Velhas e Vila Rica (1756–1809). 2020. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

HARDEN, Alessandra Ramos Oliveira. Tradução, história e o iluminismo lusobrasileiro: a Casa Tipográfica do Arco do Cego e as línguas do progresso. In: SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016, p. 107-130.

HARDEN, Alessandra Ramos Oliveira. Tradução e ciência no iluminismo lusobrasileiro: intertextualidade em epígrafes e divisas. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 38, n. 3, p. 259-278, 2018. IM HOF, Ulrich. A Europa no século das Luzes. Lisboa: Editorial Presença, 1995.

JULIO, Kelly Lislie. “Os têm tratado e educado” - as mulheres e suas ações para a manutenção da família e educação de menores no Termo de Vila Rica, MG (1770 - 1822). 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

KUHN, Fábio. Um governador “ilustrado” no sul da América portuguesa: José da Silva Pais (1735-1760). In: SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016. p. 55-68.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Conexões vicentinas: particularidades políticas e religiosas da educação confessional em Mariana e Lisboa oitocentistas. Bauru: Paco Editorial, 2013.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Mulheres de véu preto: letramento religioso das irmãs clarissas na América Portuguesa. História Questões e Debates, Curitiba, v. 60, p. 107-131, 2014.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Religião católica e instituições educativas na capitania de Minas Gerais. In: FONSECA, Thaïs Nívia de Lima (org.). História da educação em Minas Gerais: da Colônia à República. Uberlândia: EDUFU, 2019a. v. 1, p. 131-152.

LEITÃO, Ana Rita Bernardo. Escrita à Prova ou a Pena por Espada: Manuscritos subversivos e Inquisição Portuguesa (sécs. XVI-XIX). In: COUTO, Edilece Souza et al. (org.). SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS INQUISITORIAIS: NOVAS FRONTEIRAS, 3., 2016, Cachoeira. Anais [...]. Cachoeira: UFRB, 2016. p. 1-21.

LUZ, Itacir Marques da. Laços da diáspora: associacionismo e educabilidade entre a população negra de Pernambuco na primeira metade do século XIX. 2014. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

MAGALHÃES, Joaquim Romero. A universidade e a inquisição. In: FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN. História da universidade em Portugal, (1537-1771). Coimbra: Universidade de Coimbra: Fundação Calouste Gulbenkian, 1997. t. 2, v. 1, p. 971-988.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. Ler e escrever no mundo rural do antigo regime: um contributo para a história da alfabetização e da escolarização em Portugal. Braga: Universidade do Minho: Instituto de Educação, 1994.

MAGALHÃES, Justino. O mural do tempo: manuais escolares em Portugal. Lisboa: Edições Colibri: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa: UIDEF, 2011. MAGALHÃES, Justino. O Manual escolar no quadro da história cultural: para uma historiografia do manual escolar em Portugal. Sísifo, Feira de Santana, n. 1, p. 5-14, 2018.

MARTINS, Carlos Moura. A aplicação da ciência à política do território na transição do século XVIII para o século XIX. In: ARAÚJO, Ana Cristina; FONSECA, Fernando Taveira (coord.). A universidade pombalina: ciência, território e coleções científicas. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2017. p. 245-312.

MOLANO VEGA, Mario Alejandro. Reinhart Koselleck: historias de conceptos. Conceptos Históricos, San Martin, n. 1, p. 162-181, 2015.

MORAIS, Christianni Cardoso. Posse e usos da cultura escrita e difusão da escola: de Portugal ao Ultramar, Vila e Termo de São João Del Rei, Minas Gerais (1750- 1850). 2009. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

MOSCATO, Daniela Casoni. O viajante não está só: a cultura científica em memórias sobre o Brasil e as ligações entre os naturalistas luso-brasileiros do século XVIII e os viajantes cientistas do século XIX. 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

OLIVEIRA, Hilton Cesar de. Educar “solteirões extravagantes” para obtenção da família ideal: estratégias oficiais de depuração social - Minas Gerais 1717/1732. Belo Horizonte: UFMG, 2017. Projeto de Pós-Doutorado em História da Educação.

RIPE, Fernando Cezar; AMARAL, Giana Lange do. O dispositivo da cultura escrita na constituição do sujeito infantil moderno: evidências em impressos portugueses (finais do século XVII e século XVIII). Maracanan, Rio de Janeiro, n. 16, p. 106-128, 2017.

RODRIGUES, José Damião. Horizontes de reformas e luzes: uma leitura historiográfica a partir da América portuguesa. In: GODOY, Scarlett O’Phelan; RODRÍGUES GARCÍA, Margarita Eva (coord.). El ocaso del Antiguo Régimen em los impérios ibéricos. Lima: Pontificia Universidad Catolica del Perú: CHAM, 2017. p. 167-186.

SANCHES, Antonio Nunes Ribeiro. Cartas sobre a educação da mocidade. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1922.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Aritmética política e a administração do estado português na segunda metade do século XVIII. In: DORÉ, Andréa; SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Temas setecentistas: governos e populações no Império português. Curitiba: UFPR: Fundação Araucária, 2008. p. 143-152.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Para a instrução dos homens encarregados dos negócios públicos no final do Antigo Regime português. In: FONSECA, Thaïs Nívia de Lima (org.). As reformas pombalinas no Brasil. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2011. p. 205-226.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016a.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. A aula de comércio: uma escola política e magnífica para a formação de negociantes peritos e hábeis. CONGRESSO LUSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 11., 2016, Porto. Atas [...]. Porto: [s. n.], 2016b.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Instruções de governo e práticas ilustradas na América Portuguesa. In: SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Ilustração, cultura escrita e práticas culturais e educativas. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2016c, p. 37-54

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Poder e territorialização na América portuguesa (segunda metade do século XVIII). Revista de História Moderna, Alicante, n. 36, p. 323-348, 2018.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Delimitações introdutórias. Glossário do mundo ibérico setecentista. 2019a. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/ website/sobre-2. Acesso em: 16 abr. 2019.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Civil/civilizar/civilização. Glossário do mundo ibérico setecentista. 2019b. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/ website/sobre-2. Acesso em: 16 abr. 2019.

SANTOS, Antonio Cesar de Alveida. Letrados. Glossário do mundo ibérico setecentista. 2019c. Disponível em: https://denipoti.wixsite.com/website/ sobre-2. Acesso em: 18 abr. 2019.

SOUZA, Laura de Mello e. Notas sobre a pedagogia implícita de governadores coloniais no século XVIII. In: FONSECA, Thaïs Nívia de Lima; SANTOS, Antonio Cesar de Almeida (org.). Cultura e educação na América portuguesa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2020. p. 35-50.

TAVARES, Rui. Lembrar, esquecer, censurar. Estudos Avançados, São Paulo, v. 13, n. 37, p. 125-154, 1999.

VALADARES, Virginia Maria Trindade. A maçonaria moderna nas malhas do Santo Ofício no Império Português no setecentos. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 19, n. 2, p. 346-360, 2014.

VARTULI, Silvia Maria A. Rachi. Redigir a intimidade: escrita mediada e relações sociais na América portuguesa. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 19, n. 2, p. 327-345, 2014.

VARTULI, Silvia Maria A. Rachi. Por mãos alheias: usos da escrita na sociedade colonial. Belo Horizonte: Editora PUCMinas, 2016.

VENTURI, Franco. Utopia e reforma no Iluminismo. Bauru: EDUSC, 2003.

VILLALTA, Luiz Carlos. A Universidade de Coimbra sob o reformismo ilustrado português (1770-1807). In: FONSECA, Thaïs Nívia de Lima (org.). As reformas pombalinas no Brasil. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2011. p. 157-202.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2020v13n25p567

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS