“O Partido Comunista e a Liberdade de Criação”: frentismo cultural em tempos de democratização

Carine Dalmás

Resumo


Este artigo realiza apontamentos para uma reflexão sobre o significado político-cultural dos discursos proferidos pelo poeta chileno Pablo Neruda e pelos brasileiros Pedro Pomar, Secretário de Educação e Propaganda do Partido Comunista do Brasil (PCB), e Jorge Amado, escritor comunista, no primeiro encontro do PCB com escritores. Pouco explorado nos estudos sobre as ações e político-culturais do PCB, este evento aconteceu em julho de 1945, na cidade de São Paulo, durante as mobilizações pela democratização política do Brasil, pela legalização do PCB e pela anistia de Luís Carlos Prestes, Secretário-Geral do partido desde 1943. Os discursos proferidos por Neruda, Pomar e Amado foram reunidos no livreto intitulado “O Partido Comunista e a Liberdade de Criação”, publicado pela editora Horizonte, em 1946. O artigo analisa este documento, talvez o único ou principal registro do encontro, procurando relacioná-lo com o esforço pecebista para tornar a experiência do frentismo cultural, realizado na clandestinidade, numa proposta de programa cultural para o contexto da legalidade. Nessa perspectiva, destaca-se o empenho para reafirmar concepções e valorizar projetos literários desenvolvidos desde a década de 1930 e o significado das militâncias de Jorge Amado e Pablo Neruda na América Latina.

Palavras-chave


Partido Comunista do Brasil; Escritores; Frentismo cultural; Democratização; América Latina.

Texto completo:

PDF

Referências


A INTELIGENCIA brasileira e Pablo Neruda. Leitura, Rio de Janeiro, n. 31, p. 10- 11, jul. 1945.

AGGIO, Alberto. Frente popular, radicalismo e revolução passiva no Chile. São Paulo: Annablume, 1999.

AGUIAR, Joselia. Jorge Amado: uma biografia. São Paulo: Todavia, 2018.

AMADO, Jorge. La literatura en el Brasil. El Siglo, Santiago, n. 328, p. 3-4, 27 jul. 1941.

ANDRADE, Carlos Drummond de. Os intelectuais tomaram posição. Leitura, Rio de Janeiro, n. 28, p. 11, abr. 1945.

BIONDO, Delson. Neruda e o México: encontros e desencantos. Revista Letras, Curitiba, n. 65, p. 43-69, jan./abr. 2005.

BOSI, Alfredo. Historia concisa da literatura brasileira. 43. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

BUENO, Luis. Uma história do romance de 30. São Paulo: Edusp: Unicamp, 2006.

CANDIDO, Antonio. A educação pela noite. 5. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2006.

CARSON, Morris E. Pablo Neruda: regresó el caminante (aspectos sobresalientes em la obra y la vida de Pablo Neruda). Madrid: Plaza Mayor, 1973.

CHAUÍ, Marilena. Seminários. São Paulo: Brasiliense, 1983.

COSTA, Adriane Vidal. Pablo Neruda: uma poética engajada. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

DALMÁS, Carine. Frentismo cultural dos comunistas no Brasil e no Chile: literatura, escritores e virada aliancista (1935-1936). Projeto História, São Paulo, v. 47, p. 225-258, ago. 2013.

DALMÁS, Carine. Frentismo cultural em prosa e verso: comparações, conexões e circulação de ideias entre comunistas brasileiros e chilenos (1935-1948). 2012. 234 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

DALMÁS, Carine. Jorge Amado, Pablo Neruda y la conformación del frentismo cultural de los comunistas en América Latina (1939-1945). In:

HERRERAS GONZÁLEZ, Patricio (coord.). El comunismo en América Latina: experiências militantes, intelectuales y transnacionales (1917-1955). Valparaíso: Universidad de Valparaíso, 2017. p. 195-240.

DUARTE, Eduardo de Assis. Jorge Amado, exílio e literatura. Aletria: Revista de Estudos de Literatura. UFMG, v.9, n. 1, p. 226-236, 2002.

GILMAN, Claudia. Entre la pluma y el fusil: debates y dilemas del escritor revolucionario en América Latina. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2003.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

GUIMARÃES, Valéria Lima. O PCB cai no samba: os comunistas e a cultura popular (1945-1950). Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 2009.

HOBSBAWM, Eric J. Os intelectuais e o antifascismo. In: HOBSBAWM, Eric J. (org.). Historia do marxismo: o marxismo na época da Terceira Internacional: problemas da cultura e da ideologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989. p. 257-314

KAREPOVS, Dainis; MARQUES NETO, José Castilho; LOWY, Michael. Trotsky e o Brasil. In: MORAES, João Quartim de. História do Marxismo no Brasil. Os influxos teóricos. v.2., Campinas: Editora da Unicamp, 2007, p. 229-254

LAFETÁ, João Luiz. 1930: a crítica e o modernismo. 2. ed. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2000.

LIMA, Felipe Victor. O primeiro congresso brasileiro de escritores: movimento intelectual contra o Estado Novo (1945). 2010. 229 f. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

MELO, Ana Amélia. Intelectuais e política no Chile: apontamentos sobre a revista Aurora de Chile (1938-1940). Varia Historia, Belo Horizonte, v. 34, n. 64, p. 261- 291, jan./abr. 2018. MENSAGEM a Pablo Neruda. Leitura, Rio de Janeiro, n. 27, p. 31, mar. 1945.

MILOS, Pedro. Frente popular en Chile. Santiago: LOM Ediciones, 2008.

MORAES, Dênis. O imaginário vigiado: a imprensa comunista e o realismo socialista no Brasil (1947-1953). Rio de Janeiro: José Olympio, 1994.

MOULIAN, Tomás. Fracturas: de Pedro Aguirre Cerda a Salvador Allende (1938- 1973). Santiago: LOM, 2006.

NERUDA, Pablo. Escritores de todos los países uníos a los pueblos de todos los países. Frente Popular, Santiago, n. 361, p. 3, 9 nov. 1937.

NERUDA, Pablo. Nuevo canto de amor a Stalingrado. El Siglo, Santiago, n. 986, 6 mayo 1943.

NERUDA, Pablo; POMAR, Pedro; AMADO, Jorge. O partido comunista e a liberdade de criação. Rio de Janeiro: Edições Horizonte, 1945.

O PARTIDO comunista e os escritores. Leitura, Rio de Janeiro, n. 32, p. 5-6, ago. 1945.

PABLO Neruda habla. El Siglo, Santiago, n. 1.189, p. 12, 5 dic. 1943.

PREFACIO de un gran libro. Vida de Luis Carlos Prestes, de Jorge Amado. Principios, Santiago, n. 47, p. 26-32, mayo 1945.

RAMOS, Tânia Regina Oliveira. Fragmentos para uma história ainda não escrita: Jorge Amado e o Partido Comunista no exílio 1941-1942. Navegações, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 156-161, jul./dez. 2012

REIS FILHO, Daniel Aarão. Entre reforma e revolução: a trajetória do Partido Comunista no Brasil entre 1943 e 1964. In: RIDENTI, Marcelo;

REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). História do marxismo no Brasil: partidos e organizações dos anos 1920 aos 1960. Campinas: Unicamp, 2007. v. 5, p. 73-108.

ROBIN, Regine. Le réalisme socialiste: une esthétique possible. Paris: Payot, 1986. RUBIM, Antonio Albino Canelas. Marxismo, cultura e intelectuais no Brasil. In: MORAES, João Quartin (org.). História do marxismo no Brasil. Campinas: Unicamp, 1988. v. 3, p. 373-469.

RUBIM, Antonio Albino Canelas. Partido comunista, cultura e política cultural. 1986. 416 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1986.

SENA JR, Carlos Zacarias de. Os impasses da estratégia: os comunistas, o antifascismo e a revolução burguesa no Brasil, 1936-1948. São Paulo: Annablume, 200

STRADA, Vittorio. Do “realismo socialista” ao zdanovismo. In: HOBSBAWM, Eric (org.). História do marxismo. São Paulo: Paz e Terra, 1989. v. 9, p. 151-220.

TUÑÓN, Raúl Gonzalez. El héroe y el poeta. El Siglo, Santiago, n. 737, p. 3, 9 sept. 1942




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2019v12n24p428

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA