Transformações militares, políticas e sociais na virada para o Período Moderno a partir da Doutrina militar (1598) de Bartolome Scarion de Paiva

Peter Johann Mainka, José Carlos Gimenez

Resumo


Inspirado nas histórias das guerras e das batalhas do passado, assim como nos grandes feitos dos líderes que delas participaram, o italiano Bartolome Scarion de Pavia publicou, em 1598, o livro Doutrina militar. A narrativa dessa obra tem por objetivo mostrar aos leitores, aos governantes e, principalmente, aos combatentes, como uma batalha regida com técnica e racionalidade pode ser benéfica para promover a paz nas cidades e nos reinos. Sem romper definitivamente com os ideários bélicos da Antiguidade Clássica e da Idade Média, essa obra também possibilita uma leitura sobre como uma guerra, realizada com paixão, discernimento, propósitos cristãos, poderia favorecer a governança dos reis e engrandecer as monarquias nacionais, bem como dignificar os beligerantes que lutam pela pátria e pela religião cristã, especialmente os que vivem sob a Monarquia Ibérica conduzida por Filipe II de Espanha, I de Portugal (1527- 1598). Na obra do Bartolome Scarion de Pavia se refletem, exemplarmente, as transformações militares, políticas e sociais, ocorridas na virada da Idade Média para o Período Moderno.

Palavras-chave


História medieval; História moderna; Monarquias ibéricas; Exércitos; Transformações históricas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ, Fernando Bouza. Portugal no tempo dos Filipes: política, cultura, representações (1580-1668). Lisboa: Edições Cosmos, 2000.

AYALA MARTÍNEZ, Carlos de. La orden del cister y las órdenes militares. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL, CISTER, OS TEMPLARIOS E A ORDEM DE CRISTO, 1., 2012, Tomar. Actas […]. Tomar: Instituto Politécnico de Tomar, 2012.

BLACK, Jeremy. A military revolution?: military change and european society 1550-1800. Basingstoke: Red Globe Press, 1991. (Studies in European History).

CLARAVAL, Bernardo de. Elogio de la nueva milicia templaría. Traducción Iñaki Aranguren, Anne-Hélène Suarez Girard. Madrid: Ediciones Siruela, 2005.

DOLLINGER, Heinz. Lipsius, Justus. In: NEUE Deutsche Biographie, 1985. v. 14, p. 676-680. Disponível em: https://www.deutsche-biographie.de/pnd11857342X. html#ndbcontent. Acesso em: 11 dez. 2018.

DUBY, Georges. As três ordens, ou o imaginário do feudalismo. Lisboa: Estampa, 1994.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: formação do Estado e civilização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1993. 2 v.

FERREIRA HENRIQUES, Luíz Miguel. La arenga militar en la historiografía, en la épica y en los tratados militares en lengua portuguesa y en lengua latina del siglo XVI. 2012. Tesis (Doctorado) – Facultad de Filosofia y Letras, Universidad de Extremadura, Cáceres, 2012.

FERREIRA HENRIQUES, Luíz Miguel. Retórica e historiografia: a arenga militar no séc. XVI. Hvmanitas, Coimbra, v. 66, p. 349-365, 2014. Disponível em: https:// digitalis-dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/35109/1/Humanitas66_artigo18.pdf. Acesso em: 1 dez. 2018.

FLORI, Jean. La guerra santa: la formación de la idea de cruzada en el occidente cristiano. Madrid: Editorial Trotta, 2003.

GUENÉE, Bernard. O ocidente nos séculos XIV e XV (os Estados). São Paulo: Livraria Pioneira: Ed. da USP, 1981. Original em francês, 1971.

HAIDU, Peter. Sujeito medieval / moderno: texto e governo na Idade Média. São Leopoldo: Unisinos, 2006. Original em inglês, 2004.

ISRAEL, Jonathan. The Dutch Republic: Its rise, greatness and fall (1477-1806). Oxford: University Press, 1998.

KLEINSCHMIDT, Harald. Comprender la edad media: la trasformación de ideas y actitudes en el mundo medieval. Madrid: Akal, 2009.

LIPSIUS, Justus. De constantia libri duo. Lugdunum Batavorum: [s. n.], 1628. A primeira edição é de 1584.

LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo. São Paulo: Martin Claret, 2002.

MACHIAVELLI, Niccolò. Dell’arte della guerra. [Repubblica Fiorentina: s. n.],1520.

MAINKA, Peter Johann: A França na época do confessionalismo (1516-1598): a reforma protestante e as guerras civis religiosas. In: MAINKA, Peter Johann (org.). A caminho do mundo moderno: concepções clássicas da filosofia política no século XVI e o seu contexto contemporâneo. Maringá: EDUEM, 2007. p. 263-286.

MAQUIAVEL, Nicolau. O príncipe. São Paulo: Penguin Classics: Cia das Letras, 2010.

MUCHEMBLED, Robert. Una historia de la violencia: del final de la edad media a la actualidad. Madrid: Paidós Contextos, 2010.

OESTREICH, Gerhard. Strukturprobleme des europäischen absolutismus. In: OESTREICH, Gerhard. Geist und gestalt des frühmodernen staates: Ausgewählte Aufsätze. Berlin: Duncker & Humblot, 1969. p. 179-197.

OTTMANN, Henning. Die Neuzeit von Machiavelli bis zu den großen revolutionen. Stuttgart: Verlag J. B. Metzler, 2006. (Geschichte des politischen Denkens).

PARKER, Geoffrey. Felipe II: la biografía definitiva. Barcelona: Planeta, 2010.

PARKER, Geoffrey. The military revolution: military innovation and the rise of the west (1500-1800). Cambridge: University Press, 1988.

REINHARD, Wolfgang. Geschichte der staatsgewalt: eine vergleichende Verfassungsgeschichte Europas von den Anfängen bis zur Gegenwart. München: Verlag C. H. Beck, 2002. A primeira edição é de 1999.

REINHARD, Wolfgang. Pressures towards confessionalization? prolegomena to a theory of the confessional age. In: DIXON, C. Scott. (ed.) The German reformation. Oxford: Blackwell, 1999. p. 169-192.

RISCAL, Sandra Aparecida. O conceito de soberania em Jean Bodin: um estudo do desenvolvimento das ideias de administração pública, governo e Estado no século XVI. 2001. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação UNICAMP, Campinas, 2001.

RODRIGUES, Rui Luis. Os processos de confessionalização e sua importância para a compreensão da história do Ocidente na primeira modernidade (1530-1650). Tempo, Campinas, v. 23, n. 1, p. 7-21, jan./abr. 2017. Disponível em: http://www. scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000100001&lng=e n&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 16 mar. 2019.

ROGERS, Clifford J. (org.). The military revolution debate: readings on the military transformation of early modern europe. Boulder: Westview Press, 1995.

ROSSI, Paolo. O nascimento da ciência moderna na Europa. Bauru: EDUSC, 2001. Original em italiano, 1997.

SCARION DE PAVIA, Bartolome. Doctrina militar. Lisboa: Pedro Crasbeeck, 1598.

SCHILLING, Heinz. Konfessionalisierung und Staatsinteressen 1559-1660. Paderborn: Ferdinand Schöningh, 2007. (Handbuch der Geschichte der Internationalen Beziehungen, v. 2).

SEELAENDER, Airton Sequeira Leite. A “polícia” e as funções do estado: notas sobre a “polícia” do Antigo Regime. Revista da Faculdade de Direito/UFPR, Curitiba, n. 49, p. 73-87, 2009. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/direito/ issue/view/969/showToc. Acesso em: 3 ago. 2019.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento politico moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. Original em inglês,1978.

STRAYER, Joseph. R. As origens medievais do estado moderno. Lisboa: Gradiva, 1985.

VÁZQUEZ DE PRADA, Valentín. Felipe II y Francia (1559-1598): política, religión y razón de estado. Pamplona: Funsa: Ediciones Universidad de Navarra, 2004.

VITORIA, Francisco de. Vorlesungen (relectiones): völkerrecht, politik, kirche. Stuttgart: Verlag W. Kohlhammer, 1997. 2 v. Edição Bilíngue.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2020v13n25p510

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS