Manifestações da Cultura Política paraibana: a campanha estadual de 1960

Railane Martins de Araújo

Resumo


O presente artigo se propõe a fazer uma leitura sobre a campanha ao governo do estado da Paraíba no ano de 1960. Enfocamos em nossa discussão como o principal candidato, Pedro Moreno Gondim, evocou, durante todo o período de campanha, elementos próprios da cultura política e histórica do estado, visando conquistar legitimidade política. Utilizamos como fontes para nossa análise as falas dos jornais Diário da Borborema, O Norte e A União. Dialogamos ao longo do texto com os teóricos que discutem o universo da teatralização política, sobretudo Geertz (1998) e Balandier (1982), por entendermos que as retóricas utilizadas durante as campanhas são peças teatrais que contribuem para sedimentar uma identificação entre os candidatos e o público, alvo de todo o processo de disputa simbólica que envolve a política. Desse modo, percebemos a constante investida do candidato em tomar para si o espólio político de nomes como o do ex-governador do  estado, João Pessoa, além da evocação constante de aspectos como bravura, coragem, ousadia, os quais compõem o imaginário mítico da paraibanidade. Sendo assim, a articulação da imagem de Pedro Gondim com tais elementos identitários constitui um belo palco para as encenações do teatro de sua campanha, vitoriosa, ao Governo do Estado da Paraíba.


Palavras-chave


Pedro Gondim; campanhas eleitorais; cultura política; teatralização do poder; paraibanidade; Paraíba; Brasil

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2010v3n5p463



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS