Os curtas-metragens de Paulo Sacramento e o debate sobre a violência no Brasil dos anos 1990

Rosane Kaminski

Resumo


Os curtas-metragens Ave (1992) e Juvenília (1994), ambos realizados por Paulo Sacramento, são objetos de reflexão neste texto, que tem como propósito amplo discutir as relações entre imagem e violência. O exame dos filmes é feito a partir da ideia de violência, que está presente no seu âmbito semântico e também na sua linguagem, inventiva e irônica. Dois fenômenos observados na história brasileira dos anos 1980-90 se articulam à análise fílmica: 1) a exacerbação da violência social e sua visibilidade nos debates acadêmicos, culturais e políticos; e 2) o aumento na produção de curtas-metragens, incluindo um significativo grupo de filmes que discute a violência no país. Com interesse em averiguar a conexão entre filmes e conjuntura social, olha-se para esses dois curtas-metragens de Paulo Sacramento, não apenas como “representação da violência”, mas como produtos que participam do processo de “desnaturalização” e ampliação das discussões críticas sobre a violência no Brasil.

Palavras-chave


História e cinema; Cinema brasileiro; Violência; Curta-metragem; Paulo Sacramento

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Sérgio. Exclusão sócio-econômica e violência urbana. Sociologias, Porto Alegre, n. 8, jul/dez 2002.

ANTONELLO, Pierpaolo. Storie del ventre Il cannibale a tavola. Nuevo Texto Crítico, Baltimore, v. 12, n. 1, p. 297-315, 1999. Disponível em: https://muse.jhu. edu/. Acesso em: 10 mar. 2019.

BAHIA, Berê (org.). 30 anos de cinema e festival: a história do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Brasília: Fundação Cultural do Distrito Federal, 1998.

BATAILLE, Georges. As lágrimas de Eros. Lisboa: Publicações Culturais Engrenagem, 1984.

BATAILLE, Georges. O erotismo. Porto Alegre: L&PM Editores, 1987.

BENTES, Ivana. Aqui agora: o cinema do submundo ou o tele-show da realidade. Imagens, Campinas, n. 2, p.44 - 49, ago. 1994.

BERNARDET, Jean-Claude. A crueldade irônica: a nova fórmula da violência no cinema dos anos 90. Imagens, Campinas, n. 2, p.41 - 43, ago. 1994.

CARVALHOSA, Zita. II Festival internacional de curtas-metragens de São Paulo. São Paulo: MIS, 1991.

CESAR FILHO, Francisco. III Festival internacional de curtas-metragens de São Paulo. São Paulo: MIS, 1992.

CHAUÍ, Marilena. A não violência do brasileiro: um mito interessantíssimo. Almanaque: revista de literatura e ensaios, São Paulo, n.11, 1980.

CHAUÍ, Marilena. O mito da não violência brasileira. In: CHAUÍ, Marilena. Sobre a violência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

COELHO, Teixeira. Para não ser alternativo no próprio país. Revista USP: dossiê cinema brasileiro, São Paulo, n.19, set./nov. 1993.

CURTA-METRAGEM. Filme Cultura, Rio de Janeiro, ano 16, n. 41/42, maio 1983.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Desnudez cruel: La muerte misma estaba invitada. In: DIDI-HUBERMAN.Venus rajada. Madrid: Losada, 2005.

FERREIRA, Jairo. Cinema de Invenção. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2016.

FINOTTI, Ivan. Para quem quiser um soco no estômago. Folha de São Paulo, São Paulo, 23 ago. 1999.

GHIDETTI, Carolina. Paraísos artificiais: novos rumos em tempos de crise. Aurora: Revista de Arte, mídia e política, São Paulo, n. 5, maio 2009.

HAN, Byung-Chul. Topologia da violência. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

JOSÉ, Angela. Os anos dourados do cinema brasileiro: II Rio Cine. Cinemin, [S. l.], n. 26, 1986.

KAMINSKI, Rosane. As mil faces do inspetor. In: KAMINSKI, Rosane; FREITAS, Artur; GRUNER, Clovis; HONESKO, Vinicíus; REIS, Paulo. Imagem, narrativa e subversão. São Paulo: Intermeios, 2016.

KAMINSKI, Rosane. O curta-metragem brasileiro e as figurações da violência (1986- 1994). Relatório de Pós-doutorado em Meios e Processos Audiovisuais, ECA-USP, 2017. Não publicado.

KAMINSKI, Rosane. Emoção e violência em Ressurreição (Arthur Omar, 1988). In: MORETTIN, Eduardo; NAPOLITANO, Marcos (org.). O cinema e as ditaduras militares: contextos, memórias e representações audiovisuais. São Paulo: Intermeios/Fapesp; Porto Alegre: Famecos, 2018.

LABAKI, Amir. V Festival Internacional de curtas-metragens de São Paulo. São Paulo: MIS, 1994a.

LABAKI, Amir. 1994 revela segunda geração da primavera do curta. Rio de Janeiro: [s.n.], 1994b. Mostra Curta Cinema 4. Catálogo.

LABAKI, Amir. [Entrevista concedida à] Rosane Kaminski. 20 ago .2017.

LEMOS, Fernando. Rio Cine tenta outra vez. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 19 ago. 1988. p.1.

LESSING, Gotthold Ephraim. Laocoonte, ou sobre as fronteiras da pintura e da poesia. Tradução Márcio Seligmann-Silva. São Paulo: Iluminuras, 2011.

MARSON, Melina I. Cinema e políticas de estado: da Embrafilme à Ancine. São Paulo: Escrituras, 2009.

MARTINS. José de Souza. Linchamentos: a justiça popular no Brasil. São Paulo: Contexto, 2015.

MONDZAIN, Marie-José. A imagem pode matar? Lisboa: Nova Vega, 2009.

MONTEIRO, José Carlos. Verdades e mentiras no “novo” boom do cinema brasileiro. Cine Imaginário, [S. l.], v. 1. n. 12, p. 20, nov. 1986.

MOREIRA, Roberto. Cinema hoje: impasses e desafios. Imagens, São Paulo, n. 1, abr. 1994.

NAGIB, Lúcia. O cinema da retomada: depoimentos de 90 cineastas dos anos 90. São Paulo: Ed.34, 2002.

OITICICA, Hélio. O herói anti-herói e o anti-herói anônimo. Sopro 45, Florianópolis, fev. 2011.

PINHEIRO, Paulo Sérgio. Violência do estado e classes populares. Dados: revista de ciências sociais, Rio de Janeiro, v. 22, n. 3, 1979.

PINHEIRO, Paulo Sergio. Violência e cultura. In: LAMOUNIER, Bolivar; WEFFORT, Francisco C.; BENEVIDES, Maria Victoria (org.). Direito, cidadania e participação. São Paulo: Queiroz, 1981.

SACRAMENTO, Paulo. Na crise. Paupéria Revista de Cinema, São Paulo, ano 1, n. 1, p. 5, 1991.

SALEM, Helena (org.). Cinema brasileiro: um balanço dos 5 anos da retomada do cinema nacional: 1995-1999. Brasília: Ministério da Cultura, 1999.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Cena do crime: violência e realismo no Brasil Contemporâneo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

SIMIS, Anita. Concine – 1976 a 1990. Políticas Culturais em Revista, Salvador, v. 1, n. 1, p. 36 - 55, 2008.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2003.

VALÉRIO, Marcus. Apesar de vocês... Cine Imaginário, [S. l.], v. 2, n. 22, p.14, set. 1987.

VIEIRA, João Luiz. A reflexividade na tela. Rio de Janeiro: [s.n.], 1994. Mostra Curta Cinema, 4. Catálogo.

ZALUAR, Alba. Um debate disperso: violência e crime no Brasil da redemocratização. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 13, n. 3, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2019v12n23p698

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA