Charlie Hebdo: Consciência histórica sobre intolerância religiosa de estudantes de Goiânia

Maria da Conceição Silva, Enelice Milhomem Jacobina Teixeira

Resumo


A presente pesquisa analisa o sentido da intolerância religiosa a partir de estudos sobre o atentado ao Semanário Charlie Hebdo, ocorrido em janeiro de 2015, na cidade de Paris. As fontes investigadas foram as narrativas de estudantes de uma Escola da Secretaria Municipal de Educação em Goiânia, coletadas entre 2015 e 2017, por meio de instrumental de investigação, que teve como objetivo indagar a postura, contrária e favorável, dos estudantes aos terroristas ou aos cartunistas. O aporte teórico desenvolvido pela educação histórica possibilitou fazer intervenções para o aprofundamento de estudos sobre intolerância. Após as intervenções, aplicamos o instrumental de investigação pela segunda vez, a fim de verificarmos se houve alterações nas aprendizagens. Identificamos pouco avanço em relação à postura dos estudantes sobre a liberdade de expressão de religiosos e não religiosos. Fizemos uma terceira intervenção, com questões relacionadas ao motivo das charges serem ofensivas à religião Islâmica e a explicação sobre o que é intolerância religiosa na atualidade. Percebemos nessas narrativas a existência de alterações; alguns estudantes demonstraram mudança na consciência histórica para uma orientação crítica e genética.


Palavras-chave


Semanário Charlie Hebdo; Intolerância Religiosa; Consciência Histórica; Educação Histórica; História.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n22p573

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS