História, livro didático e formação docente: produção, limites e possibilidades

Erinaldo Vicente Cavalcanti

Resumo


O presente artigo propõe-se a fazer uma análise para ampliar as discussões sobre o processo de produção do livro didático de história, as relações da escrita desse produto com a ciência de referência e como essas dimensões se relacionam com a formação docente inicial de professores e professoras de História. Nessa dimensão, problematiza o lugar de autoria atribuído ao profissional que escreve a narrativa textual e alguns limites que condicionam a escrita didática. Também analisa como que a ciência histórica, como lugar de formação docente, problematiza o livro didático durante a formação inicial dos professores através das pesquisas que venho desenvolvendo acerca das matrizes curriculares dos cursos de licenciatura em história oferecidos nas universidades federais do Norte e Nordeste do Brasil. Os resultados apontam que as matrizes curriculares têm praticamente ignorado as reflexões sobre os livros didáticos como principal instrumento de trabalho do professor de história.

Palavras-chave


História. Livro didático. Formação docente.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n22p516

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS