Um agente do Império brasileiro em Londres: William Henry Clark e o fim da política da escravidão saquarema

Henrique Antonio Ré

Resumo


Em meados da década de 1860, depois dos episódios relativos à “Questão Christie” e do subsequente rompimento das relações diplomáticas entre Brasil e Grã-Bretanha, agentes do Império brasileiro atuaram internacionalmente para reduzir as hostilidades antiescravistas britânicas dirigidas ao Brasil e pedir a revogação da Lei Aberdeen, ainda em vigor nos statute books britânicos. William Henry Clark, colunista do Jornal do Commercio e homem de negócios em Londres, desempenhou um papel importante na imprensa britânica ao lançar escritos esclarecendo as posições do novo governo liberal que acabara de subir ao poder no Brasil e como ele pretendia dar encaminhamento à sua plataforma emancipacionista.

Palavras-chave


William Henry Clark; Questão Christie; Imprensa; Escravidão; Emancipação

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, Angela. Joaquim Nabuco: os salões e as ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

ARAÚJO, José Thomas Nabuco de. O Centro Liberal. Brasília: Senado Federal, 1979.

BASTOS, Aureliano Cândido Tavares. Cartas do solitário. 3. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938.

BETHELL, Leslie. A abolição do tráfico de escravos no Brasil: a Grã-Bretanha, o Brasil e a questão do tráfico de escravos, 1807-1869. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1976.

BLACKBURN, Robin. The American Crucible: slavery, emancipation and human rights. London: Verso, 2013.

BURLINGHAM, Russell; BILLIS, Roger. Reformed characters: the Reform Club in History and Literature. An anthology with commentary. London: Reform Club, 2005.

BURTON, Richard. Viagem do Rio de Janeiro a Morro Velho. Brasília: Senado Federal, 2001.

CARVALHO, Antônio Gontijo de. Um ministério visto por dentro: cartas inéditas de João Batista Calógeras, alto funcionário do Império. Rio de Janeiro: José Olympio, 1959.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite imperial. Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CHRISTIE, William Dougal. Notes on Brazilian questions. London: Macmillan & Co., 1865.

CHRISTIE, William Dougal. The Brazil correspondence in the cases of the “Prince of Wales” and officers of the “Forte”. (Reprinted from the Papers laid before Parliament). With an Introduction telling some truth about Brazil. London: William Ridgway, 1863.

CLARK, William Henry. The relations of the British and Brazilian governments. London: Chapman and Hall, 1865.

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil: 1850-1888. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

ELTIS, David. Economic growth and the end of the transatlantic slave trade. New York: Oxford University Press, 1987.

GRAHAM, Richard. Grã-Bretanha e o início da modernização no Brasil: 1850-1914. São Paulo: Brasiliense, 1973.

GRAHAM, Richard. Os fundamentos da ruptura de relações diplomáticas entre o Brasil e a GrãBretanha em 1863: “A Questão Christie”. Revista de História, São Paulo, v. 24, n. 49, p. 117-138, 1962.

HUGH, Thomas. The Slave Trade: the history of the Atlantic Slave Trade, 1440-1870. Nova York: Touchstone, 1997.

INTERNATIONAL EXHIBITION 1862. Official Catalogue of the Industrial Department. 2nd. ed. London: Truscott, Son & Simmons, 1862.

LYRA, Heitor. História de Dom Pedro II. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1977. v. 2.

MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti. Africanos livres: a abolição do tráfico de escravos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

MARQUESE, Rafael; SALLES, Ricardo. A escravidão no Brasil oitocentista: história e historiografia. In: MARQUESE, Rafael; SALLES, Ricardo (org.). Escravidão e capitalismo histórico no século XIX: Cuba, Brasil, Estados Unidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. p. 99-161.

MENDONÇA, Renato. Um diplomata na Corte de Inglaterra: o Barão de Penedo e sua época. Brasília: Senado Federal, 2006.

NABUCO, Joaquim. Minha formação. Brasília: Editora UnB, 1963.

NEEDELL, Jeffrey D. The Party of Order: the Conservatives, the State, and Slavery in the Brazilian Monarchy, 1831-1871. Stanford: Stanford University Press, 2006.

PARRON, Tâmis. A política da escravidão no Império do Brasil: 1826-1865. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

RÉ, Henrique Antonio. Uma missão abolicionista britânica no Brasil e as relações entre a British and Foreign Anti-Slavery Society e a Sociedade contra o Tráfico de Africanos e Promotora da Colonização e Civilização dos Indígenas. Almanack, Guarulhos, n. 15, p. 293-317, jan./abr. 2017.

SALLES, Ricardo. E o Vale era o escravo: Vassouras, século XIX: senhores e escravos no coração do Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

SILVA, João Manuel Pereira da. Memórias do meu tempo. Brasília: Senado Federal, 2003.

THE BRAZILIAN EMPIRE. The Quarterly Review, London, v. 108, p. 303-342, jul./oct. 1860.

TREMENHEERE, J. H. The Brazilian Empire: an account of its history, government, slave trade, etc. London: John Murray, 1860.

ZENHA, Celeste. Imagens do Brasil civilizado na imprensa internacional: estratégias do Estado Imperial. Cadernos do CHDD, Brasília, v. 1, n. 2, p. 423-438, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n22p727

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA