A aproximação e a instalação dos aparatos de Controle do Poder Judiciário em Campo Mourão-PR.

Leandro Moreira da Luz, Bruno Flávio Lontra Fagundes

Resumo


O artigo apresenta, a partir de análises e reflexões, os cenários e contextos regulatórios nos quais estão inseridos os atores sociais presentes nos primeiros processos-crime de Campo Mourão, que datam entre os anos 1928 e 1949. Além dos acontecimentos constantes nestes autos, analisamos decisões regulamentares, leis, medidas administrativas e, também, literaturas acadêmicas referentes à ocupação do território neste período. O interesse em ler e analisar estas fontes se deu exatamente na expectativa de encontrar documentos que flagrassem os indivíduos sujeitos aos exames disciplinares pelos agentes do Poder Judiciário – homens e mulheres – agindo e descrevendo os sentidos de suas relações cotidianas em meio às políticas disciplinares e às possíveis tensões entre poderes e resistências.


Palavras-chave


História Moderna. Poder Judiciário. Controle. Disciplinação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ, Marcos C. Michel Foucault e a Sociologia: aproximações e tensões. Estudos de Sociologia. Araraquara, v. 20, n. 38, p. 15-33, 2015.

ASSIER-ANDRIEU, Louis. O direito nas sociedades humanas. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BLIKSTEIN, Izidoro. Kaspar Hauser ou A Fabricação da Realidade. 4 ed. São Paulo: Cultrix, 1995.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução Fernando Tomas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002 (coleção memória e sociedade).

BRASILEIRO, Ana M. O município como sistema político. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas – Serviço de Publicações, 1973.

BRASIL. Lei de 29 de novembro de 1832. Código do Processo Criminal de Primeira Instancia. Rio de Janeiro, 1832. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LIM/LIM- 29-11-1832.htm Acesso em 23 ago. 2016.

______. Constituição (1891). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 24 de fevereiro de 1891. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm Acesso em 18 set. 2016.

______. Lei n. 3.071, de 1° de janeiro de 1916. Código Civil. Rio de Janeiro, 1916. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L3071.htm Acesso em 18 set. 2016.

______. Constituição (1937). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 10 de novembro de 1937. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm Acesso em 21 ago. 2016.

______. Decreto-lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal. Rio de Janeiro, 1940. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del2848.htm Acesso em 21 ago. 2016.

______. Decreto-lei n. 3.689, de 3 de outubro de 1941. Código de Processo Penal. Rio de Janeiro, 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del3689.htm Acesso em 21 ago. 2016.

______. Decreto-lei n. 3.688, de 3 de outubro de 1941. Lei das Contravenções Penais. Rio de Janeiro, 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto- lei/Del3688.htm

BURKE, Peter. Testemunha ocular: o uso de imagens como evidência histórica. São Paulo: Editora Unesp, 2017.

Campo Mourão, Folha de Londrina, 10 out. 1976. Edição Especial.

CAMPO MOURÃO. IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/parana/campomourao.pdf. Acessado em 04/08/2016.

CAMPO MOURÃO, P.M. Museu Municipal Deolindo Mendes Pereira. Campo Mourão/PR, 2017.

CAMPO MOURÃO. Leis Municipais. Portal do Cidadão. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/legislacao-municipal/3211/leis-de-campo-mourao Acesso em 30 de Agosto de 2017.

CASA CIVIL. Lei n. 315, de 19 de dezembro de 1949. Livro Primeiro da Administração da Justiça. Disponível em

http://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/listarAtosAno.do?action=exibir&codAto=1 6234&indice=1&totalRegistros=154&anoSpan=1956&anoSelecionado=1949&mesSelecio nado=0&isPaginado=true Acesso em 23 ago. 2016.

______. Lei n. 2, de 11 de outubro de 1947. Sistema Estadual de Legislação. Disponível em http://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/listarAtosAno.do?action=exibir&codAto=15 788&indice=1&totalRegistros=24&anoSpan=1947&anoSelecionado=1947&mesSeleciona do=0&isPaginado=true Acesso em 14 abr. 2016.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. 3. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2012.

CIGOLINI, Adilar A. A fragmentação do território em unidades político-administrativas: análise da criação de municípios no Estado do Paraná. 1999. 141 f. Dissertação. (Mestrado em Geografia) Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

DI PIETRO, M. S. Direito Administrativo. 15 ed. São Paulo: Atlas, 2003.

FAUSTO, Boris. Crime e cotidiano: a criminalidade em São Paulo, 1880-1924. São Paulo: Edusp, 1984.

FERREIRA, João C.V. O Paraná e seus municípios. 3. ed. [S.l.]: Memória do Brasil, 1999. FLICK, Uwe. Introdução à Pesquisa Qualitativa. Madri: Ediciones Morata, 2007.

FISCER, Rosa M. B. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, v. 114, p. 197-223, v. 25, n. 65, p. 187-210, maio/ago, 2012.

FONTANELLA, Bruno José Barcellos; RICAS, Janete; TURATO, Egberto Ribeiro. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas. Cadernos de Saúde Pública, v. 24, n. 1, p. 17-27, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 1987.

______. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2015.

______. Outros espaços. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Ditos e Escritos III. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991. GODET, Michel. Prospective et Planification Stratégique. Paris: Economica, 1985.

GUARAPUAVA. Lei municipal n° 301, 20 de abril de 1918. Guarapuava-PR.

HARACENKO, Adélia A. S. O processo de transformação do território no noroeste do Paraná e a construção das novas territorialidades camponesas. 2007. 626 f. Tese. (Doutorado em Geografia) Universidade de São Paulo - USP.

INSTITUTO DE TERRAS, CARTOGRAFIA E FLORESTAS. Campo Mourão: Alguns Fatos

Históricos. Curitiba, ITCF, 1987 (Publicação em Homenagem ao 40° Aniversário de Emancipação Política de Campo Mourão).

JUNIOR, Oswaldo Giacoia. Ética, direito e política em tempos de biopoder. Revista Jurídica FCV, v. 1, n. 1, p. 5-12, 2017.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

MACHADO, Roberto Cabral de M. A arqueologia do saber e a constituição das ciências humanas. Discurso, v. 5, n. 5, p. 87-118, 1974.

MORIN, Edgar. Epistemologia da Complexidade. In: SCHNITMAN, Dora Fried (org). Novos Paradigmas, cultura e subjetividade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

NEQUETE, Lenine. O Poder Judiciário no Brasil a partir da independência. Brasília: STF, 2000.

NIETZSCHE, Friedrich. Sobre a verdade e a mentira no sentido extra-moral. São Paulo: Abril Cultural, 1983. p. 43-52.

______. Humano, demasiado humano. São Paulo: Escala, 2007.

ONOFRE, Gisele Ramos. Campo Mourão: Colonização, uso do solo e impactos socioambientais. 2005. 2006 f. Dissertação. (Mestrado em Geografia) Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2005.

PAUL, Patrick. "Pensamento complexo e interdisciplinaridade: abertura para mudança de paradigma." Phillipi, Arlindo Jr.; SILVA, Antonio Neto. Interdisciplinatidade em Ciência, Tecnologia & Inovação. Barueri: Editora Manole. SANDIN, M. da PE (2003). Investigación educativa em educación: Fundamentos y tradiciones. Madrid (2011), p. 230-259.

RAGO, Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

RAMOS, Marília Patta. Métodos quantitativos e pesquisa em ciências sociais: lógica e utilidade do uso da quantificação nas explicações dos fenômenos sociais. Mediações: revista de ciências sociais. Londrina, PR. Vol. 18, n. 1 (jan./jun. 2013), p. 55-65, 2013.

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005.

RIBEIRO, Carlos Antonio Costa. Cor e criminalidade – estudo e análise da justiça do Rio de Janeiro (1900-1930). Editora UFRJ, 1995.

RICHARDSON, Roberto J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ROSEMBERG, André; SOUZA, Luís Antônio Francisco de. Notas sobre o uso de documentos judiciais como fonte de pesquisa histórica. Patrimônio e Memória, 2009.

SILVA, Ivanete P. M. Dinâmica Populacional e Produção do Espaço de Campo Mourão – A espaço temporalidade de um núcleo polarizador. 2008. 167 f. Dissertação. (Mestrado em Geografia) Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2008.

SILVA, Deonísio da. De onde vêm as palavras: origens e curiosidades da língua portuguesa. 17. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2014.

SOUZA, Luiz Antônio Francisco de. Poder de política, Política civil e práticas policiais na cidade de São Paulo (1889-1930). 1998. Tese (Doutorado em Sociologia) Universidade de São Paulo, USP, 1998.

TOURINO FILHO, Fernando da Costa. Manual de Processo Penal. São Paulo: Saraiva, 2005. VASCONCELOS, Eduardo M. Complexidade e pesquisa interdisciplinar. Petrópolis: Vozes, 2007. VEIGA, Pedro da. Campo Mourão: centro do progresso. Maringá: Bertoni, 1999.

VEYNE, Paul. Foucault: seu pensamento, sua pessoa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

WEBER, Max. A “objetividade” do conhecimento nas ciências sociais. Tradução de Gabriel Cohn.

São Paulo: Ática, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n22p821

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA