O samba tinha mais vida: memória de músicos e integrantes das comunidades do samba em Florianópolis/SC

Lisandra Barbosa Macedo Pinheiro

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar os discursos em torno da identidade cultural através das manifestações da música popular em Florianópolis, Santa Catarina, a partir de entrevistas com músicos e participantes das comunidades do samba, enfatizando, principalmente, a questão das formas musicais e melódicas que compunham em meados do século XX. Pautadas na valorização dos antigos instrumentos, na forma como eram confeccionados, nos formatos dos conjuntos, grupos e nos gêneros musicais, estas memórias nos conduzem e nos auxiliam para uma reflexão historiográfica sobre experiências musicais enquanto formas de lazer, de afirmação e representação cultural, aqui se entendendo como linguagens e representações de mundo, tal como esta se configura nos pressupostos teóricos da Historia do Tempo Presente. A música, nesse sentido, se torna um dos agentes formadores dos discursos em torno da identidade cultural das populações que compõe as regiões periféricas urbanas.

Palavras-chave


História do tempo presente; Memória; Música popular; Identidade cultural

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Hermetes Reis. A invenção do litoral: reformas urbanas e reajustamento social em Florianópolis na Primeira República. 1989. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 1989.

BIOGRAFIA de escola de samba Estácio de Sá. Disponível em:

. Acesso em: 12 jun. 2017.

BLUMENBERG, Abelardo Henrique. Quem vem lá?: a história da copa Lord. Florianópolis: Garapuvu, 2005.

FROTA, Wander Nunes. Auxílio luxuoso: samba símbolo nacional, geração Noel Rosa e indústria cultural. São Paulo: Annablume, 2003.

GOMES, Tiago de Melo. Um espelho no palco: identidades sociais e massificação da cultura no teatro de revista dos anos 20. São Paulo: UNICAMP, 2004.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Laís Teles Benoir. São Paulo: Centauro, 2004.

IPHAN. Samba de roda do recôncavo baiano. Brasília: IPHAN, 2006. Disponível em:

. Acesso em: 15 jan. 2018.

JORNAL A GAZETA, Florianópolis, 18 jan. 1940a. JORNAL A GAZETA, Florianópolis, 19 jan. 1940b.

LOPES, Nei. Sambe-a-bá: o samba que não se aprende na escola. Rio de Janeiro: Casa da Palavra; Folha Seca, 2003.

MOURA, Roberto. Tia Ciata e a pequena África no Rio de Janeiro. Brasília: FUNARTE, 1983.

NAPOLITANO, Marcos. A síncope das ideias: a questão da tradição na música popular brasileira. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2007.

ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994. RAMOS, Átila. Carnaval da ilha. Florianópolis: Papa Livro, 1997.

RAMOS, Guerreiro. O problema do negro na sociologia brasileira. Cadernos de Nosso Tempo, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 189-220, jan./jun. 1954. Disponível em:

. Acesso em: 7 jun. 2018.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: as transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

SODRÉ, Muniz. Samba, o dono do corpo. 2. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

THOMPSON, Alistair; FRISCH, Michael; HAMILTON, Paula. Os debates sobre a memória e história: alguns aspectos internacionais. In: AMADO, Janaina; FERREIRA, Marieta de Moraes (Org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p. 65-91.

TRAMONTE, Cristina. O samba comquista passagem: as estratégias e a ação educativa das escolas de samba de Florianópolis. Florianópolis: Diálogo, 1996

VIANNA, Hermano. O mistério do samba. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n21p413

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA