Notas sobre a influência da cultura portuguesa no Japão (séculos XVII e XVIII): o legado dos missionários europeus

Carlos Pelliccia

Resumo


O nanbangaku ou nanban bunka, ou seja, o conjunto das doutrinas dos “bárbaros do sul”, não conheceu o seu epílogo com a proscrição do cristianismo, nem com o afastamento dos comerciantes ibéricos. Neste artigo mostramos como a companhia holandesa, que se mudou para Deshima (1641), e a comunidade chinesa de Nagasaki se tornaram também, nos séculos XVII e XVIII, canais de prossecução deste fenómeno. A circulação de informações sobre Portugal e sobre a cultura portuguesa foi veiculada, embora em pequenas doses, no Seiy? Kibun (1715), escrito pelo estudioso do neoconfucianismo Arai Hakuseki, tendo por base quatro colóquios-interrogatórios efetuados com o missionário siciliano Giovan Battista Sidotti, chegado clandestinamente a Yakushima em 1708.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2017v10n20p631

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS