Instrução e a prática de Canto Orfeônico em tempos de Estado Novo no Piauí

José de Arimatéa Freitas Aguiar Júnior

Resumo


Este trabalho apresenta um estudo sobre a instrução, às celebrações cívicas e a prática de canto orfeônico durante o Estado Novo no Piauí. Tendo como objetivo principal analisar como os estabelecimentos de ensino utilizaram esses recursos na busca da constituição da cultura cívica e na legitimação do novo regime. Para que essa proposta fosse contemplada, foram abordados, no texto, os investimentos que a educação piauiense recebeu no período, a construção de Grupos Escolares pelo Piauí, a participação dos estudantes nos eventos cívicos organizados pelas escolas, a implantação da prática do canto orfeônico nos estabelecimentos e, por fim, como a juventude piauiense se posicionou perante as normatizações e imposições das instituições, bem como do Estado Novo. Para a realização desse estudo, utilizamos o jornal Diário Oficial, relatórios governamentais, entrevistas com ex-alunos e fotografias. As categorias teórico-metodológicas utilizadas nas discussões sobre Estado Novo foram Gomes (2005), Schwartzman (1983) e Schwartzman; Bomeny; Costa (1984). Para as reflexões que norteiam os estudos sobre cidades nos debruçamos nos estudos de Nascimento (2002), Lopes (2007) e Solon (2006). No tocante a educação no Piauí foi de fundamental importância às obras de Queiroz (2008) e Melo (2010). 


Palavras-chave


História. Estado Novo. Piauí. Instrução. Canto Orfeônico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2017v10n20p1081

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS