Entre palavras e objetos: Cultura material e Abolicionismo no Vale do Paraopeba/MG (1840-1888)

Claudia Eliane Parreiras Marques Martinez

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a cultura material do professor de primeiras letras, advogado, solicitador de capelas e resíduos, curador de escravos Manoel Bernardes da Cunha Cassão, falecido em 1877, na cidade de Bonfim. Com base em seu inventário post-mortem, de um banco de dados composto por 450 documentos cartorários e outras fontes, foi possível descortinar questões pertinentes à oscilação das fortunas, à posse de escravos e terras, a relação entre o interior de Minas Gerais e a Corte do Rio de Janeiro e, principalmente, o significado e a simbologia de possuir alguns artefatos, considerados, na época, sofisticados, exóticos e luxuosos. Para a realização deste trabalho, foi necessário recorrer a alguns pressupostos da História Social e da Micro História. Tendo como referência o conceito de “excepcional normal”, de Edoardo Grendi, problematizou-se, a partir das pistas e vestígios deixados por Cassão, como os objetos e os livros localizados em sua moradia, bem como sua atuação social e política, constituíram, ao mesmo tempo, desvio e regra na sociedade oitocentista.

Palavras-chave


Cultura material; Cultura intelectual; Inventário post-mortem; Abolicionismo; Vale do Paraopeba (MG)

Texto completo:

PDF

Referências


FONTES

- Almanaque Administrativo, Civil e Industrial de Minas Gerais, 1873.

- Arquivo Municipal de Bonfim/MG, Inventário post-mortem, CSO, 17(21), 1877.

- Arquivo Municipal de Bonfim/Minas Gerais, Processo Crime, CSO 12 (277), 1858.

- Arquivo Municipal de Bonfim/Minas Gerais, Inventário post-mortem, CPO 07 (8), 1858 e CPO 73 (15), 1859.

- Arquivo Municipal de Bonfim/Minas Gerais, Processo Crime, CSO 29 (565), 1875.

- Arquivo Municipal de Bonfim/MG, Inventário post-mortem, CSO, 20(12), 1866.

- Arquivo Municipal de Bonfim/MG, Inventários post-mortem, CSO, 65(10), 1893; CSO 19(06), 1895; CSO 65(07), 1890.

BIBLIOGRAFIA

AMILCO, Rita de Cássia da Silva. Fortunas em Movimento: um estudo sobre as transformações na Riqueza Pessoal em Juiz de Fora: 1870-1914. (Dissertação de Mestrado). IE/UNICAMP, 2001.

ARAÚJO, Maria Lucília Viveiros. Os Caminhos da Riqueza dos Paulistanos na primeira metade do Oitocentos. (Tese de Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, Departamento de História, 2003.

BARROSO, Gustavo. Classificação geral de móveis antigos. In: Anais do Museu Histórico Nacional. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. v. 4, 1947, p. 558-601.

CARDOSO, Ciro Flamarion. (Org.). Escravidão e Abolição no Brasil: novas Perspectivas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988.

CASTRO, Hebe Maria Mattos de. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no sudeste escravista. Brasil, século XIX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

CHALLOUB, Sidney. Uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

COSTA, Emília Viotti da. A abolição. (8a edição revista e ampliada). São Paulo: Editora Unesp, 2008. (1. ed. 1982).

COSTA, Wellington Júnior Guimarães da. Das desordens na Provedoria de Defuntos e Ausentes, Capelas e Resíduos na América Portuguesa. Anais do XXVIII Simpósio Nacional de História. Florianópolis: ANPUH, 2016.

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

FRAGOSO, João Luís Ribeiro. Homens de grossa aventura: acumulação e riqueza na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 20. ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1980. (1. ed. 1933).

FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mocambos: decadência do patriarcado rural e desenvolvimento do urbano. 9. ed. Rio de Janeiro: Record, 1996. (1. ed. 1936).

GINZBURG, Carlo Mitos, emblemas e sinais. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GRENDI, Edoardo. Repensar a micro-história? In: REVEL, Jacques. Jogos de Escala. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998. p. 259.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Micro-história: reconstruindo o campo de possibilidades. In: Topoi, Rio de Janeiro, n. 1, p. 217-233.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e Fronteiras . 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. (1. ed. 1957).

LE ROY LADURIE, Emmanuel. Montaillou. Povoado Occitânico. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

LINHARES, Maria Yedda Leite. Metodologia da história quantitativa: balanço e perspectivas. In: BOTELHO, Tarcísio; MARQUES, Cláudia Eliane Parreiras et al. História Quantitativa e Serial: um balanço. Goiânia: ANPUH-GO, 2001.

MARTINEZ, Cláudia Eliane Parreiras Marques. Cinzas do Passado: cultura material, riqueza e escravidão no Vale do Paraopeba/MG (1831-1914). Londrina: EDUEL, 2014.

MARTINEZ, Cláudia Eliane Parreiras Marques. Riqueza e Escravidão: vida material e população no século XIX. Bonfim/MG. São Paulo: Annablume; FAPESP, 2007.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O Tempo Saquarema. 5. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MATTOSO, Kátia M. de Queirós. Bahia, Século XIX: uma província no Império. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Apresentação da Nova Série. In: Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material. São Paulo. N. Ser. N. 1. jan/dez. 1993. p. 5-7.

MENESES. Ulpiano Toledo Bezerra de. Apresentação do livro. In: MARTINEZ, Cláudia Eliane Parreiras Marques. Riqueza e Escravidão: vida material e população no século XIX. Bonfim/MG. São Paulo: Annablume; FAPESP, 2007.

OLIVEIRA, Maria Luiza Ferreira de. Entre a casa e o armazém: relações sociais e experiências da urbanização – São Paulo, 1870-1900. São Paulo: Alameda, 2005.

PESAVENTO, Sandra. O corpo e a alma do mundo: a micro-história e a construção do passado. História Unisinos, v. 8, n. 10, jul/dez, 2004, p. 180.

REVEL, Jacques. Jogos de Escala. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998.

SAINT-HILAIRE, Auguste. Viagens pelas Províncias do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1975.

VERSIANI, Flávio Rabelo; VERGOLINO, José Raimundo Oliveira. Posse de Escravos e Estrutura da Riqueza no Agreste e no Sertão Pernambucano: 1777-1887. Estudos Econômicos. v. 33, n. 2, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2017v10n20p749

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA