A influência da Revolução Cubana na história da Ação Popular nos anos 1960

Jean Rodrigues Sales

Resumo


O artigo analisa a influência do foquismo na história da Ação Popular (AP) no decorrer da década de sessenta. Não se trata de fazer um estudo sobre a história da organização, mas sim uma discussão sobre as influências teóricas do ideário cubano na trajetória ideológica da AP. A conclusão geral é de que o foquismo representou uma fase curta, porém importante, nas definições políticas desse grupo.

Palavras-chave


Ação Popular; Foquismo; Esquerdas; Ditadura; Luta armada

Texto completo:

PDF

Referências


A AMÉRICA Latina não se renderá. O Metropolitano. Órgão oficial da União Metropolitana dos Estudantes do Rio de Janeiro]. 23, abril, 1961.

A VERDADEIRA face da revolução. O Metropolitano. Órgão oficial da União Metropolitana dos Estudantes do Rio de Janeiro]. 25, dez., 1960.

BARÃO, Antonio Carlos. A influência da revolução cubana sobre a esquerda brasileira nos anos 60. In: MORAES, João Quartim de e REIS FILHO, Daniel Aarão (orgs.). História do marxismo no Brasil. 2. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003, v. I, p. 259-316.

CIAMBARELLA, Alessandra. Do cristianismo ao maoísmo: a história da Ação Popular. In: FERREIRA, J; REIS, D. A. (orgs.). As esquerdas no Brasil: Revolução e democracia (1964-...). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, p. 99-130.

CUBA: decisão continental. O Metropolitano: Órgão oficial da União Metropolitana dos Estudantes do Rio de Janeiro]. 04, set., 1960.

CUBANOS no Rio. O Metropolitano: Órgão oficial da União Metropolitana dos Estudantes do Rio de Janeiro]. 05, maio, 1959.

DEBRAY, Regis. Revolução na revolução. São Paulo: Centro Editorial Latino Americano, s/d.

DIAS, Reginaldo Benedito. Sob o signo da revolução brasileira: a experiência da Ação Popular no Paraná – 1962/1973. Dissertação de mestrado, Assis, UNESP, 1997.

DIAS, Reginaldo Benedito. A cruz, a foice e o martelo e a estrela: a tradição e a renovação da esquerda na experiência da Ação Popular (1962-1981). Tese (Doutorado em História). Assis: UNESP, 2004.

DIAS, Reginaldo Benedito. Histórias da AP. Estudos sobre as disputas pelos sentidos da história da Ação Popular (AP). Curitiba: Editora Prismas, 2017.

DUARTE, Hugo Villaça. A Ação Popular e a questão do humanismo: das origens cristãs ao marxismo (1962-1973). Dissertação (Mestrado em História). Niterói: UFF, 2010.

FIDEL na praça e na UME.O Metropolitano. Órgão oficial da União Metropolitana dos Estudantes do Rio de Janeiro]. 10, maio, 1959.

FUNDO DUARTE PEREIRA PACHECO (FDPP). Caixas 3, 4, 5 e 8. Arquivo Edgard Leuenroth (AEL), Campinas: UNICAMP.

GARCIA, Marco Aurélio. AP, do cristianismo ao marxismo-leninismo. Em Tempo, São Paulo, 1979.

GORENDER, Jacob. Combate nas trevas. 5 ed. São Paulo: Ática, 1998.

GUEVARA, Che. A guerra de guerrilhas. In: GUEVARA, Che. Obras completas. São Paulo: Edições Populares, v. 9, 1981.

LIMA, Haroldo; ARANTES, Aldo. História da Ação Popular: da JUC ao PC do B. São Paulo: Alfa-Omega, 1984.

LÖWY, Michael. A guerra dos deuses: religião e política na América Latina. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

MARTINS FILHO, João Roberto. O movimento estudantil na conjuntura do golpe. In: TOLEDO, Caio Navarro de. (org.). 1964: visões críticas do golpe. Democracia e reformas no populismo. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997, p. 75-81.

OLIVEIRA JR., Franklin. História da Ação Popular. Tese (Doutorado em História). Recife, UFP, 2000.

OLIVEIRA, Mônica de. Militantes operários e operários militantes. A experiência da integração na produção na história da Ação Popular (1965-1970). Dissertação (Mestrado em História). Campinas: UNICAMP, 2005.

REIS FILHO, Daniel Aarão; SÁ, Jair ferreira de (orgs.). Imagens da revolução. Documentos políticos das organizações clandestinas de esquerda dos anos 1961-1971. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1985.

REIS FILHO, Daniel Aarão. O maoísmo e a trajetória dos marxistas brasileiros. In: REIS FILHO, Daniel Aarão et al. História do Marxismo no Brasil. Vol. I. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991, p. 130-131.

RIDENTI, Marcelo. O romantismo revolucionário nos anos 60. In: ALMADA, Izaías, FREIRE, Alípio e PONCE, J. A. Granville (orgs.). Tiradentes, um presídio da ditadura: memórias de presos políticos. São Paulo: Scipione, 1997, p. 414-422.

RIDENTI, Marcelo. Ação Popular: cristianismo e marxismo. In: RIDENTI, Marcelo e REIS FILHO, Daniel Aarão (orgs.). História do marxismo no Brasil vol. V. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002, p. 213-282.

ROLLEMBERG, Denise. O apoio de Cuba à luta armada no Brasil. O treinamento guerrilheiro. Rio de Janeiro: Mauad, 1997.

SÁ, Karolina Kneip de. Ação Popular do Brasil: da JUC ao racha de 1968. Dissertação (Mestrado em História). Recife: UFPE, 2015.

SAINT-PIERRE, Héctor Luis. A política armada. Fundamentos da guerra revolucionária. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.

SALES, Jean Rodrigues. A luta armada contra a ditadura militar. A esquerda brasileira e a influência da revolução cubana. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2007.

SANTANA, Cristiane Soares de. Maoísmo na Bahia (1967-1970). Dissertação (Mestrado em História). Salvador: UFBA, 2008.

SOUZA, Herbert José de. Depoimento. In: CAVALCANTE e RAMOS (orgs.). Memórias do exílio. São Paulo: Livramento, 1978.

SOUZA, Herbert José de. No fio da navalha. Rio de Janeiro: Revan, 1996.

TOLEDO, Caio Navarro de. O governo Goulart e o golpe de 64. São Paulo: Brasiliense, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n21p345

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA