Descaso com a Reforma Agrária e Repressão Contra os Movimentos Sociais: representações do MST sobre Collor (1990-1992)

Fabiano Coelho

Resumo


O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ao longo de suas três décadas de existência se constituiu como um dos movimentos sociais mais expressivos da história do Brasil, tanto por sua longevidade, quanto pelo alcance de suas mobilizações e atuação no cenário político brasileiro. Por suas concepções e posições políticas, o Movimento sempre se declarou oposição aos presidentes brasileiros, exceto, em relação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nesse sentido, o artigo analisa as representações do MST sobre o presidente Fernando Collor de Mello, por meio do seu periódico, o Jornal Sem Terra, no período em que ocupou a presidência da República (1990-1992). Ao longo do texto, evidencia-se que Collor foi representado como inimigo dos trabalhadores e da reforma agrária, bem como um presidente autoritário.


Palavras-chave


MST; Collor; Jornal Sem Terra; Representações; Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2017v10n19p311

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br