A visão militar brasileira da Guerra do Chaco: projeção geopolítica e rivalidade internacional na América do Sul

Helder Gordim da Silveira

Resumo


Examina-se a forma como o meio militar brasileiro avaliou a Guerra do Chaco (1932-1935), entre o Paraguai e a Bolívia, a partir de relatórios e análises oficiais acerca da situação-limite culminante do conflito. Busca-se propor que essa visão é informada pelas doutrinas de caráter geopolítico que se consolidaram no país ao longo dos anos 1920, encontrando contribuição decisiva na obra de Mario Travassos, no princípio da década seguinte. A rivalidade tradicional com a Argentina em torno da supremacia estratégica na América do Sul foi assim atualizada na visão militar brasileira da Guerra.


Palavras-chave


Guerra do Chaco; Geopolítica; Pensamento Militar; Brasil; Argentina.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2009v2n4p649

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br