O gênio e as novas formas de representação cinematográfica do sujeito de conhecimento

Fábio de Godoy Del Picchia Zanoni

Resumo


Objetivando problematizar as novas formas de representação cinematográfica do gênio, o presente artigo, amparado no legado teórico-metodóligoco de Michel Foucault, interpela os efeitos, em operação na contemporaneidade, da circulação social de novas figuras do sujeito de conhecimento, salientando, desta feita, os pressupostos silenciosos que tendem a informar o modo pelo qual os espectadores podem e devem imaginar a si e aos outros como sujeitos capazes de produção de modalidades de saber-fazer específicas. Para tanto, o presente artigo apoia-se em uma plataforma empírica que conta com quatro filmes: Meu pé esquerdo (1989), Gênio Indomável (1997), Billy Elliot (2000) e Encontrando Forrester (2000).

Palavras-chave


Cinema; Sujeito de conhecimento; Foucault

Texto completo:

PDF

Referências


A NOITE dos desesperados. Direção de Sydney Pollack. Produção American Broadcasting Company (ABC), Produção Palomar Pictures 1969.

BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1996.

BILLY ELLIOT. Direção de Stephen Daldry. Reino unido, Working Title Films, 2000.

DELEUZE. Nietzsche e a Filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976.

ENCONTRANDO Forrester. Direção de Gans Van Sant. Columbia TriStar Filmes do Brasil, 2000.

FOUCAULT, Michel. Ditos & Escritos IV: Estratégia, Poder-Saber. São Paulo: Forense Universitária, 2006.

FOUCAULT, Michel. Ditos & Escritos VII: Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina. São Paulo: Forense Universitária, 2011.

GÊNIO Indomável. Direção de Gans Van Sant. Miramax Films, 1997.

LAROSSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu. O sujeito da educação. Petrópolis: Vozes, 1994.

MEU PÉ esquerdo. Direção de Jim Sheridan. Distribuição: Fox. 1989.

NEVES, Kellen Cristina Marçal de Castro. Cinema: a modernidade e suas formas de entretenimento. Revista de História e Estudos Culturais, Uberlândia, v.3, n.4, p.1-16, 2006.

O CREPÚSCULO dos Deuses. Direção de Billy Wilder. Paramount Pictures, 1959.

O DESPERTAR de Rita. Direção de Lewis Gilbert. Reino Unido, Columbia Home Video, 1983.

RAMOS DO Ó, Jorge. O governo de si mesmo. Lisboa: Educa, p.38, 2003.

SMEYERS, P.; DEPAEPE, M. (Eds.). Educational research 3: the educacionalization of social problems. New York: Springer, 2008.

TRÊS DIAS de Condor. Direção de Sydney Pollack. ProduçãoWildwood Enterprises, 1975.

VEIGA-NETO, Alfredo. Coisas do governo... In: RAGO, Margareth; ORLANDI, Luiz B.; VEIGA-NETO, Alfredo (org.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p.13-34.

VINCENT & Theo. Direção de Roberto Altman. Netherlands, Hemdale Film Corporation ,1990.

ZANONI, Fábio. O cinema e o governo dos homens: o terceiro salvador e as políticas de subjetivação postas em funcionamento na contemporaneidade. Linguagens: revista de Letras, Artes e Comunicação, Blumenau, v.6, n.2, p.106-124, mai./ago. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2016v9n17p157

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA