As margens do progresso. A expansão urbana de Londrina nas representações de moradores de um bairro popular às margens da cidade

André Camargo Lopes

Resumo


O objetivo deste artigo é apontar como a expansão do município de Londrina ao longo dos anos de 1950 e 1960 possibilitou o surgimento da Vila Paulista, hoje Jardim Paulista. Bairro que, somado a mais uma dezena de outros, surgiu a partir de um processo de desvalorização do solo em uma área de loteamentos no entorno da Avenida Brasília. Segue como abordagem deste processo, um conjunto de entrevistas realizadas com moradores antigos no bairro, definidos como moradores/fundadores. Propomos analisar o cotidiano destas famílias a partir das representações construídas nas falas destes moradores/fundadores a respeito do espaço social em uma perspectiva histórica em diálogo com a história local e a dicotomia do cotidiano destes moradores com a representação de Londrina como uma cidade progressista.


Palavras-chave


expansão urbana; identidade; representação social; memória; espaço social; Londrina; Brasil

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2010v3n5p553



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS