As representações de classe operária na produção acadêmica brasileira

Igor Guedes Ramos

Resumo


A produção acadêmica das décadas de 1960 e 1970, que se dedica ao estudo da classe operária brasileira, traz consigo as expectativas de futuro de seus estudiosos. Logo, o passado aparece como prenúncio do que virá segundo representações de mundo, de história e da classe operária. Essas representações, por um lado, se constituem historicamente por meio da incorporação das configurações socioculturais; e, por outro lado, se manifestam como matrizes da prática e do discurso acadêmico, estabelecendo os campos teóricos de interpretação da classe operária brasileira. A partir desta perspectiva, relacionamos interpretações de parte da produção acadêmica dessas décadas (de 1960 e 1970) com as condições socioculturais do país e com a dinâmica interna do campo de produção acadêmico, buscando compreender suas práticas e representações.


Palavras-chave


representações; práticas; discurso; classe operária; produção acadêmica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2009v2n3p421



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS