Estatuto da Terra: debates políticos e as disputas pela forma da reforma agrária no primeiro governo militar

Carmem Lúcia Gomes De Salis

Resumo


Em plena vigência da ditadura, em 30 de novembro de 1964, foi promulgado pelo governo militar de Humberto Alencar Castello Branco, o Estatuto da Terra, caracterizado enquanto um conjunto de dispositivos legais que definiam, entre outros fatores, o que era propriedade da terra no Brasil, bem como, os instrumentos necessários para se realizar a Reforma Agrária. Embora tenha sido aprovado pelo Congresso ainda no primeiro ano do governo, seu processo de elaboração e tramitação constituiu-se em um período de intensas discussões políticas acerca do alcance e da natureza que esta proposta deveria assumir.  Neste sentido, o presente artigo objetiva compreender as disputas políticas que ocorreram, mesmo sobre o regime de exceção, pela forma da Reforma Agrária. Para essa análise utilizamos, especialmente os discursos parlamentares proferidos nos meses que antecederam a aprovação da lei e as colunas publicadas na grande imprensa, pois essas fontes possibilitam refletir sobre os posicionamentos de diversos agentes envolvidos, como: políticos, associações patronais e o governo.

Palavras-chave


Reforma Agrária. Estatuto da Terra. Governo Castello Branco, Debate na Imprensa e Disputas Políticas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n13p493



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br