Toneladas de Diplomacia num mar sem fronteiras: discussões sobre os poderes navais de Argentina, Brasil e Chile, no início do século XX

Fernando Ribas De Martini

Resumo


A evolução dos poderes navais da Argentina, Brasil e Chile no início do século XX foi um tema que cruzou fronteiras não só de países, mas também dos setores das sociedades destas três nações, envolvidos em sua discussão: intelectuais, diplomatas, militares. Hoje, é um tema que cruza fronteiras entre áreas do conhecimento, como História da Ciência, da Técnica e da Tecnologia, História Diplomática, História Política, Ciências Sociais, assim como estudos de Política Externa. Este artigo discorre sobre a coincidência entre o roteiro das Conferências Pan-Americanas do início do século XX, que foram iniciativas dos Estados Unidos, e o lançamento e execução dos programas de reequipamento naval dos três países, num momento em que boa parte de sua intelectualidade discutia essas conferências sob um viés anti-americano. Também analisa o quanto essa discussão se relacionava mais a símbolos de poder naval do que ao poder real desses países.

Palavras-chave


ABC. Poder Naval. Diplomacia. Encouraçados. Intelectuais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n13p309



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS