Uma ponte sobre o Atlântico: os exilados e as relações entre as polícias políticas brasileira e portuguesa (1950-1970)

Alexandre Felipe Fiuza

Resumo


Este trabalho se ocupa das relações estabelecidas entre as polícias políticas brasileira e portuguesa entre as décadas de 1950 e 1970. Tal pesquisa foi realizada a partir da bibliografia, de entrevistas e mediante consulta do material obtido junto à antiga documentação dos órgãos de repressão dos dois países, no caso, da DOPS – Delegacia de Ordem Política e Social dos Estados de RS, PR, SP, RJ, PE e PB e, no caso português, do Arquivo da PIDE/DGS – Polícia Internacional de Defesa do Estado/ Direcção-Geral de Segurança. Em especial, esta documentação traz a lume a vigilância das atividades exercidas pelos seus respectivos exilados, o que, por sua vez, igualmente levou a uma série de prisões. Trata-se de uma documentação inédita e que revela os contatos entre a repressão destes dois países, em diferentes contextos políticos no Brasil e em Portugal. Os documentos aqui analisados além de revelarem as atividades de vigilância, também denotam as próprias atividades políticas e culturais dos investigados. Portanto, ademais de esclarecerem os contatos entre os serviços de inteligência dos dois países, também nos trazem os contatos entre ativistas brasileiros e portugueses e, em muitos casos, suas ações no exílio.


Palavras-chave


Vigilância política; Repressão; Ditaduras; História de Portugal; História do Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n13p210



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS