A presença indígena no vale do Rio Tibagi/PR no início do século XX

Lucio Tadeu Mota

Resumo


Com o fim do Império e a instalação da República, as populações indígenas tiveram que reformular suas ações e reinventar novas formas de lidar com o poder do Estado. Esse processo, se por um lado garantiu a sua existência, por outro fez com que eles tivessem que readequar seus modos de vida tradicionais às novas situações. Pretende-se aqui apresentar a situação das populações indígenas presentes na bacia do médio Rio Tibagi no Estado do Paraná. Será destacada a situação histórica da região por volta de 1910, momento da criação do Serviço de Proteção aos Índios e Localização de Trabalhadores Nacionais (SPILTN) e o papel desse órgão na região intermediando as relações entre os indígenas e os nacionais. As populações indígenas envolvidas nesse processo desenvolveram estratégias políticas apropriadas e específicas para contrapor as políticas e as ações de redução de seus territórios. Serão demonstradas as complexas relações históricas e socioculturais que existiram nesse processo, que vão além das explicações oficiais de transformação (aculturação) das populações indígenas em populações rurais, e também evitada a armadilha da história polarizada que simplifica essas relações entre populações diferenciadas.


Palavras-chave


Etno-História indígena. História do Paraná. Serviço de Proteção aos Índios. Fronteiras e populações. Relações socioculturais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n13p358



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

CNPQ PPG-HS DORA OJS