Os jogos de interpretação de personagem e suas perspectivas no ensino de história

Ricardo Jeferson da Silva Francisco

Resumo


É de senso geral a respeito da educação a grande necessidade de incentivo à leitura, interpretação e escrita em sala de aula. Nessa perspectiva, a narratividade e a imaginação são ponto-chave para o desenvolvimento dos alunos não somente nas aulas de História, mas sim no quadro geral das práticas educativas e no desenvolvimento das ciências. O presente trabalho visa, em primeiro plano, desenvolver uma estratégia em sala de aula que privilegie o uso de narrativas históricas, tomando o RPG (Role Playing Game - Jogo de Interpretação de Personagem) como parte dessa estratégia para o ensino de conceitos históricos. A pesquisa pretende delimitar as características e o histórico do RPG enquanto produto cultural de seu tempo e brinquedo, em vista da reflexão sobre o jogo explorado na aula de História na escola básica. Para tanto destaca a narrativa ficcional e a histórica, inerentes ao homem, e o estímulo à narratividade e à escrita na aula de História tendo por base os conceitos de consciência histórica e a atribuição de sentido ao passado por meio da narrativa, como debatidos por Rüsen e por outros autores, tais como Vygotsky, Ausubel e Polanyi. Espera-se ao final, descrever a aplicação prática e demonstrar os fundamentos e procedimentos para uma maior eficácia do RPG em sala de aula como uma estratégia de ensino, tendo em vista uma perspectiva do uso da imaginação no ensino.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2011v4n7p415

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br