Por um braqueamento mais rápido: identidade e racismo nas narrativas do álbum do cinqüentenário da imigração italiana no sul do Brasil

Luis Fernando Beneduzi

Resumo


As questões étnico-raciais estão presentes transversalmente em toda a história brasileira, especialmente a partir do processo de independência, quando se buscou elaborar
uma identidade nacional. A primeira autoimagem produzida pelo Brasil, no século XIX, é a de uma nação sem negros, formada pela união do bom selvagem e do bom português. A figura do escravo/negro também permanece como uma problemática importante no século XX, permitindo a criação de uma visão idealista de uma democracia racial brasileira, entrecruzada por críticas à mestiçagem e por uma polifonia do saberes médicoantropológicos. Nesse sentido, no álbum comemorativo dos cinqüenta anos da imigração italiana no Rio Grande do Sul, produzido em 1925, a positividade étnica dos imigrantes italianos é contrastada com a inferioridade de negros e mestiços, em uma leitura que mistura a idéia de branqueamento e a critica à mestiçagem. Enquanto é enaltecida a forma da colonização do sul do país, marcada pela exclusão das populações negras, é criticada a política da cruzamento de raças, sendo vista essa última como uma estratégia lenta para a purificação do sangue nacional.

Palavras-chave


Etnicidade; Representação; Identidade; Mestiçagem; História do Brasil; Italianos; Rio Grande do Sul.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2011v4n7p13



Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br