Cultura de segurança do paciente na perspectiva dos profissionais de enfermagem

Natalia Cunha Bandeira, Simone Perufo Opitz, Suleima Pedroza Vasconcelos, Marcos Vinicius Malveira de Lima, Charlene Ruiz de Araújo, Andréia Moreira de Andrade

Resumo


Objetivo: Descrever as dimensões da Cultura de Segurança do Paciente, identificando áreas fortes e frágeis na percepção dos profissionais de enfermagem, em dois complexos hospitalares assistenciais públicos em Rio Branco, Acre. Métodos: Estudo epidemiológico observacional, descritivo, transversal. A coleta de dados ocorreu no período de novembro de 2016 a maio de 2017, com amostra de 290 profissionais de enfermagem, que aceitaram participar do estudo respondendo ao questionário intitulado Hospital Survey on Patient Safety Culture (HSOPSC), elaborado pela Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ), amplamente utilizado no mundo para mensurar a cultura de segurança do paciente, traduzido, adaptado e validado para o português brasileiro. A análise de dados foi realizada por meio de estatística descritiva e a confiabilidade do instrumento foi verificada pelo coeficiente de Alpha de Cronbach. Resultados: As dimensões que apresentaram maior percentual de respostas positivas foram: “Aprendizado organizacional” (63%), “Trabalho em equipe no âmbito das unidades” (60%), “Expectativas e ações de segurança dos supervisores e gerentes” (54%) e “Abertura para comunicação” (54%). No entanto, das 12 dimensões avaliadas pelo questionário, sete obtiveram percentual abaixo de 50%, sendo consideradas áreas frágeis e que necessitam de melhoria. Os itens identificados com menor percentual foram: “Respostas não punitivas aos erros” (15%), “Quadro de funcionários” (31%), “Frequência de eventos relatados” (34%) e “Retorno de informações e comunicação sobre erros” (35%). Conclusão: Nenhumas das dimensões alcançou 75% de respostas positivas evidenciando uma necessidade de mudanças organizacionais e culturais que promovam a Cultura de Segurança nas instituições pesquisadas.

Palavras-chave


Segurança do paciente; Gestão de segurança; Profissionais de enfermagem

Referências


Ministério da Saúde (BR). Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014. [citado 2019 ago. 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/documento_referencia_

programa_nacional_seguranca.pdf

Kohn L, Corrigan J, Donaldson M, editors. To err is human: building a safer health system. Washington, DC: Institute of Medicine; National

Academies Press; 1999.

Antunes NS. Notificação de incidentes e segurança do doente: percepção dos enfermeiros. Instituto Politécnico de Viseu: Escola Superior de Saúde de Viseu [Internet]. 2015 [citado 2019 abr. 10]. Disponível em:

https://core.ac.uk/download/pdf/70646975.pdf

Marinho MM, Radünz V, Barbosa SFF. Assessment of safety culture by surgical unit nursing teams. Texto Contexto Enferm. 2014Sep; 23(3):581-90. doi: 10.1590/0104-07072014002640012

World Health Organization. Working together for health: the world health report 2006. [Internet]. Geneva: WHO; 2006. [cited 2019

Jun 10]. Available from: https://www.who.int/whr/2006/whr06_en.pdf

Castanho A. Cultura de segurança do paciente. Revista Melhores Práticas [Internet]. 2014 [citado em 2019 jun. 20]; 61-4. Disponível em:https://studylibpt.com/doc/1588354/culturade-seguran%C3%A7a-do-paciente

Ministério da Saúde (BR). Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ‘Ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências’. Brasília: Ministério da Saúde; 2003. [citado 2019 ago. 10]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2871504/

RDC_36_2013_COMP.pdf/36d809a4-e5ed-4835-a375-3b3e93d74d5e

Reis CT, Laguardia J, Martins M. Adaptação transcultural da versão brasileira do hospital survey on Patient Safety Culture: etapa inicial. Cad Saúde Pública. 2012; 28(11):2199-210. doi: 10.1590/S0102-311X2012001100019

Tobias GC, Bezerra ALQ, Branquinho NCS, Silva AEBC. Cultura de segurança do paciente em instituições de saúde: um estudo bibliométrico. Enferm Glob. [Internet]. 2014 [citado 2019 jun

; 33:349-61. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v13n33/pt_revision1.pdf

Silva-Batalha EMS, Melleiro MM. Patient safety culture in a teaching hospital: differences in perception existing in the different scenarios

of this institution. Texto Contexto Enferm. 2015 Jun; 24(2):432-41. doi: 10.1590/0104-07072015000192014

Mello JF, Barbosa SFF. Patient safety culture in an intensive care unit: the perspective of the nursing team. Rev Eletr Enferm. 2017;19:a07.

doi: 10.5216/ree.v19.38760

Tomazoni A, Rocha PK, Kusahara DM, Souza AIJ, Macedo TR. Evaluation of the patient safety culture in neonatal intensive care. Texto Contexto Enferm. 2015Mar; 24(1):161-9. doi: 10.1590/0104-07072015000490014

Macedo TR, Rocha PK, Tomazoni A, Souza S, Anders JC, Davis K. The culture of patient safety from the perspective of the pediatric

emergency nursing team. Rev Esc Enferm USP. 2016Oct; 50(5): 756-62. doi: 10.1590/S0080-623420160000600007

Massoco ESP, Melleiro MM. Comunication and patient safety: perception of the nursing staff of a teaching hospital. Rev Min Enferm.

Jun; 19(2):187-91. doi: 10.5935/1415-2762.20150034

Minuzzi AP, Salum NC, Locks MOH. Assessment of patient safety culture in intensive care from the health team’s perspective. Texto Contexto Enferm. 2016Jun;25(2): e1610015. doi: 10.1590/0104-07072016001610015

Fragata J, Rodrigues V, Sousa P. Segurança dos doentes: uma abordagem prática. Lisboa: Lidel; 2011.

Fassarella CS, Camerini FG, Henrique DM, Almeida LF, Figueiredo MCB. Evaluation of patient safety culture: comparative study in

university hospitals. Rev Esc Enferm USP. 2018Nov; 52:e03379. doi:10.1590/S1980-220X2017033803379.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.