CASOS DE MESOTELIOMA MALIGNO EM 20 ANOS DE UM REGISTRO HOSPITALAR DE CÂNCER

Tatiana Lage Ferreira Halfeld, Larissa Marcondes, Luciana Puchalski Kalinke, Dario Consonni, Carolina Mensi, Leila Maria Mansano Sarquis

Resumo


Objetivo: analisar a qualidade dos dados dos casos de mesotelioma maligno notificados no Registro Hospitalar de Câncer em um hospital oncológico de Curitiba-PR. Métodos: estudo retrospectivo, transversal, realizado em um Centro de Alta Complexidade em Oncologia na cidade de Curitiba, Paraná, no período de janeiro a dezembro de 2017. A amostra foi composta por 142 registros de pacientes adultos com câncer de topografia (Classificação Internacional das Doenças para Oncologia (CID-O) 3ª Revisão) C38 (câncer do coração, mediastino e pleura) e C48 (câncer do retroperitônio e peritônio) durante o período de janeiro de 1995 a dezembro de 2015. Para as análises estatísticas, foi utilizado o software Stata 15®. Resultados: foram identificados 16 casos de mesotelioma maligno (11 pleurais e 5 retroperitoneais), diagnosticados a partir de exames anatomopatológico e de imuno-histoquímica. Destes casos, três foram notificados com topografias inadequadas. Divergências foram encontradas na comparação entre os diagnósticos registrados em prontuários e os registrados em cinco Declarações de Óbito. A sensibilidade do Registro Hospitalar de Câncer de um hospital oncológico referência em Curitiba ao notificar mesotelioma maligno foi de 81% e a especificidade ao notificar câncer de pleura foi de 97%. Conclusões: Houve subnotificação nos casos de mesotelioma maligno (13 em vez de 16) e uma sobrestimativa foi observada nas notificações de cânceres de pleura (4 em vez de 0), decorrente da codificação equívoca da descrição da doença por parte do registro.

Palavras-chave


Mesotelioma; Asbestos; Saúde pública; Epidemiologia; Sistemas de informação

Referências


Erb CT, Johnson KM, Kim AW. Rare pleural tumors. Clin Chest Med. 2013 Mar; 34(1):113-36. doi: 10.1016/j.ccm.2012.12.001.

Enzinger FM, Weiss SW. Soft tissue tumors. St. Louis: Mosby; 1995.

International Agency for Research on Cancer (IARC). A review of human carcinogens Parte C: Arsenic, Metals, Fibres, and Dusts

[Internet]. Lyon/FR: IARC, 2012. v. 100C. [citado 2019 Jun 10]. Available from: https://publications.iarc.fr/120.

Algranti E, Saito CA, Carneiro AP, Mendonça EM, Bussacos MA. The next mesothelioma wave: mortality trends and forecast to 2030

in Brazil. Cancer Epidemiol. 2015 Oct; 39(5): 687-92. doi: 10.1016/j.canep.2015.08.007.

Pawelczyk A, Bozek F. Health risk associated with airbone asbestos. Environ Monit Assess. 2015 Jun; 187(7):428. doi: 10.1007/s10661-

-4614-3.

Collegium Ramazzini. Asbestos is still with us: repeat call for a universal ban. New Solut. 2010; 20(2):257-66. doi:10.2190/NS.20.2.j.

Ministério da Previdência Social (BR). Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev). Benefícios por

incapacidade concedidos por CID para 2009 [Internet]. Brasília: Ministério da Previdência Social; 2009. [citado 2019 jul 21]. Disponível em: http://www3.dataprev.gov.br/scripts9/netuno.cgi.

Pedra F, Silva PO, Castro HA. Mesothelioma mortality rate in Brazil, 1980 to 2010. Rev Bras Cancerologia [Internet]. 2014 [cited 2019 Mar 10];60(3):199-206. Available from: https://rbc.inca.gov.br/site/arquivos/n_60/v03/pdf/03-artigo-mesothelioma-mortalityrate-in-brazil-1980-to-2010.pdf

Supremo Tribunal Federal (BR). Emenda da Lei Federal 9.055/1995: dispõe sobre a proibição da extração, comercialização e exportação

do amianto em território brasileiro. Brasília: Supremo Tribunal Federal; 2017.

Mensi C, Matteis SD, Dallari B, Riboldi L, Bertazzi PA, Consonni D. Incidence of mesothelioma in Lombardy, Italy: exposure to asbestos, time patterns and future projections. Occup Environ Med. 2016 Sept;73(9):607-13. doi: 10.1136/oemed-2016-103652.

Marsili D, Terracini B, Santana VS, Ramos-Bonilla JP, Pasetto R, Mazzeo A, et al. Prevention of asbestos-related disease in countries

currently using asbestos. Int J Environ Res Public Health. 2016 May;13(5):494. doi: 10.3390/ijerph13050494.

Poblete-Naredo I, Albores A. Molecular biomarkers to assess health risks due to environmental contaminants exposure. Biomedica. 2016 Jun;36(2):309-335. doi: 10.7705/biomedica.v36i3.2998.

Ministério da Saúde (BR). Instituto Nacional de Câncer. Câncer no Brasil: dados dos registros de bases populacional [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2010. v. 4. [citado 2019 jun 15]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//registro_de_base_populacional_completo.pdf

Ministério da Saúde (BR). Instituto Nacional do Câncer. Registros hospitalares de câncer: Planejamento e gestão [Internet]. 2. ed. Rio

de Janeiro: INCA; 2010. [citado 2019 jun 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/registros_hospitalares_cancer.pdf

Koller FJ, Sarquis LMM, Mantovani MF, Miranda FMA, Consonni D, Mensi C. Monitoramento do mesotelioma no sul do Brasil: uma realidade ainda a ser estudada. Cogitare Enferm. 2017jan-mar;22(1):01-06. doi: 10.5380/ce.v22i1.49192

Girianelli VR, Thuler LCS, Silva GA. Qualidade do sistema de informação do câncer do colo do útero no estado do Rio de Janeiro. Rev Saúde Pública. 2009 ago;43(4):580-8. doi:10.1590/S0034-89102009005000043.

Nicita C, Buzzoni C, Chellini E, Ferrretti S, Marinaccio A, Mensi C, et al. A comparative analysis between regional mesothelioma registries and cancer registries: results of the ReNaM-AIRTUM project. Epidemiol Prev [Internet]. 2014 [citado 2019 Mar 10];38(3-4):191-9. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25115471

Pinto IV, Ramos DN, Costa MCE, Ferreira CBT, Rebelo MS. Completude e consistência dos dados dos registros hospitalares de câncer no Brasil. Cad Saúde Coletiva [Internet]. 2012 [citado 2019 jun 15];20(1):113-20. Disponível em: http://www.cadernos.iesc.

ufrj.br/cadernos/images/csc/2012_1/artigos/CSC_v20n1_113-120.pdf

Ministério da Saúde (BR). Instituto Nacional do Câncer. Estimativa 2016: incidência de câncer no Brasil [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2015. [citado 2019 jun 15]. Disponível em: http://santacasadermatoazulay.com.br/wp-content/uploads/2017/06/estimativa-2016-v11.pdf

Ministério da Saúde (BR). Departamento de Ciência e Tecnologia; Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos. Integração de informações dos registros de câncer brasileiros. Rev Saúde Pública.

out;41(5):865-8. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102007000500024.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.