REFERENCIAIS UTILIZADOS NAS TEORIAS DE MÉDIO ALCANCE: REVISÃO INTEGRATIVA

Luana Tonin, Josemar Batista, Maria Ribeiro Lacerda, Elaine Drehmer de Almeida Cruz, Maria de Fatima Mantovani, Jaqueline Dias do Nascimento

Resumo


Objetivo: Identificar os referenciais teóricos utilizados nos estudos primários da enfermagem brasileira para o desenvolvimento de Teorias de Médio Alcance. Método: Revisão integrativa de literatura, com coleta de dados no Banco de Teses da Coordenação de Aperfeiçoamento Pessoal de Nível Superior e na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, realizada entre os meses de setembro e novembro de 2018. Resultados: Após seleção dos 6.498 estudos recrutados, quatro abordavam Teorias de Médio Alcance na Enfermagem. Dentre os referenciais teóricos, dois utilizaram a Teoria do Alcance de Metas de Imogene King e dois o Modelo da Adaptação de Roy. Conclusão: Observou-se que os referencias utilizados para a construção das Teorias de Médio Alcance nos estudos primários da enfermagem brasileira foram o de Alcance de Metas de Imogene King e o Modelo de adaptação de Roy.

Palavras-chave


Modelos Teóricos; Teoria de Enfermagem; Enfermagem

Referências


Alligood MR, Tomey AM. Modelos y teorías en enfermería. 9 ed. [Londres]: Elsevier Health Sciences; 2018.

Meleis AI. Theorical nursing: development and progress. 6 ed. Philadelphia: Lippincont Williams & Wilkins; 2018.

Meleis AI. Theoretical nursing: development and progress. 5 ed. Philadelphia: Lippincott William & Wilkins; 2012.

Walker LO, Avant KC. Strategies for theory construction in nursing. 5 ed. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall; 2011.

Mcewen M, Wills EM. Theoretical basis for nursing. 4 ed. Philadelphia, PA: Walters Kluwer: Lippincott, Williams and Wilkins; 2014.

Brandão MAG, Martins JSA, Peixoto MAP, Lopes ROP, Primo CC. Theoretical and methodological reflections for the construction of middlerange nursing theories. Texto & Contexto Enferm. 2017;26(4):2-8. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017001420017

Fernandes MICD. Construção e validação do diagnóstico de enfermagem risco de volume de líquidos excessivo a partir de uma teoria de médio alcance [tese]. Lagoa Nova (RN): Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2018.

Im EO. Theory Development Strategies for Middle-Range Theories. ANS Adv Nurs Sci. 2018 Jul/Sept;41(3):275-292. doi: 10.1097/ANS.0000000000000215.

Ministério da Saúde (BR). Agenda nacional de prioridades de pesquisa em saúde [Internet]. 2 ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde: 2015 [acesso em 2018 ago 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/agenda_nacional_prioridades_2ed_4imp.pdf.

Yarcheski A, Mahon NE. Characteristics of quantitative nursing research from 1990 to 2010. J Nurs Scholarsh. 2013 Dec;45(4):405-11. doi: 10.1111/jnu.12038. Epub 2013 Jun 10.

Im EO. The current status of theory evaluation in nursing. J Adv Nurs. 2015 Oct;71(10):2268-78. doi: 10.1111/jan.12698. Epub 2015

May 28.

Paula CC, Padoin SMM, Galvão CM. Revisão integrativa como ferramenta para tomada de decisão na prática de saúde. In: Lacerda MR, Costenaro RGS. Metodologias da pesquisa para a enfermagem e saúde: da teoria à prática. Porto Alegre: Moriá; 2016, p. 51-76.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2008 Out-Dez [acesso em 22 mai 2019];17(4):758-64. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=71411240017

Denadai W. Teoria de médio alcance de enfermagem para atenção à saúde mental [tese]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2016.

Primo CC. Teoria de médio alcance de amamentação: tecnologia de cuidado [tese]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de

Janeiro; 2015.

Souza NMG. Padrão respiratório ineficaz em crianças com cardiopatias congênitas: construção e validação por juízes de uma teoria de médio alcance [dissertação]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2017.

King IM. Toward a theory for nursing: systems, concepts, process. New York: Delmar Publishers; 1981.

Fawcett J. Criteria for evaluation of theory. Nurs Sci Q [Internet]. 2005 Apr [acesso em 2019 maio 10];18(2):131-5. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0894318405274823.

Gowin DB, Novak JD. Learning how to learn. Cambrige: Cambridge University Press; 1984.

Camargo-Sanchez A, Nino CL, Sánchez L, Echeverri S, Gutiérrez DP, Duque AF, et al. Theory of inpatient circadian care (TICC): a proposal for a middle- range theory. Open Nurs J. 2015 Feb;9:1-9. doi:10.2174/1874434601509010001.

Mcewen M, Wills EM. Bases teóricas de enfermagem. Porto Alegre: Artmed; 2016.

Liehr P, Smith MJ. Middle Range Theory: a perspective on development and use. ANS Adv Nurs Sci. 2017 Jan/Mar;40(1):51-63. doi:10.1097/ANS.0000000000000162.

Pereira ICBFP. Do hospital para casa: estrutura da ação de enfermagem. Uma teoria de médio alcance [tese]. Porto (PT): Universidade Católica Portuguesa; 2011.

Pender N, Murdaugh C, Parsons MA. Health promotion in nursing practice. New Jersey: Pearson; 2011.

Shanley E, Jubb-Shanley M. The recovery alliance theory of mental health nursing. J Psychiatr Ment Health Nurs. 2007Dec;14(8):734-43. doi: 10.1111/j.1365-2850.2007.01179.x

Roy SC. Generating middle range theory: from evidence to practice. New York: Springer; 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.